Acelerar corte da taxa de juros é decisão acertada, diz FIRJAN

Desde outubro, quando se iniciou o processo de redução da taxa de juros, a inflação manteve trajetória cadente, fechando 2016 dentro das metas estabelecidas, algo que não acontecia desde dezembro de 2014. Para 2017, as projeções apontam inflação próxima do centro da meta de 4,5%. Diante disso, o Sistema FIRJAN considera acertada a decisão do Copom de acelerar o ritmo de corte da taxa de juros. Esse movimento será crucial à retomada do crescimento. Sua continuidade e intensidade, contudo, dependem da consolidação das reformas fiscais, em especial a aprovação da reforma da previdência e o reequilíbrio das contas públicas estaduais.

(Redação - Agência IN)

Saques da poupança superam depósitos em R$ 40,7 bilhões

A queda da renda e a perda de atratividade perante outras aplicações fizeram a caderneta de poupança registrar retirada líquida de recursos pelo segundo ano consecutivo. Em 2016, os brasileiros sacaram R$ 40,7 bilhões a mais do que depositaram na poupança, segundo dados divulgados hoje (5) pelo Banco Central (BC).

 

Dívida mobiliária federal totalizou R$2.961,4 bi em novembro

A dívida mobiliária federal interna, fora do Banco Central, avaliada pela posição de carteira, totalizou R$2.961,4 bilhões (47,3% do PIB) em novembro, registrando acréscimo de R$52,1 bilhões em relação ao mês anterior, segundo dados do Banco Central (BC). O resultado refletiu emissões líquidas de R$24,5 bilhões, acréscimo de R$1,0 bilhão em razão da depreciação cambial e incorporação de juros de R$26,6 bilhões.

Setor público registrou déficit primário de R$39,1 bilhões

O setor público consolidado registrou déficit primário de R$39,1 bilhões em novembro, segundo dados do Banco Central (BC). O Governo Central apresentou déficit de R$39,9 bilhões, e os governos regionais e as empresas estatais, superávit primários respectivos de R$421 milhões e R$314 milhões.

BC projeta inflação na meta este ano e em 4,4% em 2017

O Banco Central (BC) passou a projetar inflação dentro da meta este ano, com redução em 2017. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou 6,5%, no limite da meta de inflação para 2016. A informação é do Relatório de Inflação do quarto trimestre, divulgada hoje (22), pelo BC.

Assinar este feed RSS