Investidores atentos aos negócios em Wall Street

  •  
Investidores atentos aos negócios em Wall Street (Foto: Divulgação) Investidores atentos aos negócios em Wall Street

As principais bolsas de valores globais deverão apresentar sinais opostos nesta terça-feira, 20, com a atenção dos investidores voltada aos negócios em Wall Street. Diante deste cenário, os índices europeus e norte-americanos operam de lado nesta manhã.

Ásia

Na Ásia, as bolsas encerraram com perdas. O recuo dos índices japoneses refletiu a frustação com o discurso de posse de Haruhiko Kuroda como presidente do banco central do Japão (BoJ na sigla em inglês) no parlamento. De acordo com relatório diário do Bradesco, a tal frustração ocorreu porque existia a expectativa de que, na cerimônia de renovação do seu mandato, Kuroda reforçasse o discurso expansionista da política monetária. Contudo, o pronunciamento não trouxe grandes detalhes quanto aos próximos passos de política monetária.

Europa

Enquanto isso, na Europa, as bolsas apresentam sinais opostos nesta manhã.

Por lá, o instituto de pesquisas Zentrum für Europaische Wirtschaftsforschung (Zew) divulgou que o índice que mede a confiança na economia dos países da zona do euro entre os analistas financeiros e investidores institucionais recuou de 31,8 pontos em janeiro para 29,3 pontos em fevereiro deste ano.

Além disso, o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da Alemanha subiu 0,5% em janeiro deste ano, um resultado acima do esperado pelo mercado (0,3%). Os dados foram divulgados pela agência de estatísticas do País, a Destatis.

EUA

Em Wall Street, o indicador futuro das bolsas norte-americanas aponta para uma abertura de lado.

Brasil

Aqui no Brasil, o mercado de juros deve ser influenciado ao movimento de alta no mercado internacional, em dia com agenda fraca.

Empresas

No mês de janeiro de 2018, a receita líquida da Ferbasa atingiu R$ 122 milhões e registrou um acréscimo de 7,4% quando comparado ao mesmo período de 2017. O dólar médio praticado desvalorizou 2,0% no período analisado.

Por outro lado, a BB Seguridade anunciou que registrou lucro líquido de R$4,0 bilhões em 2017, com crescimento de 0,9% em relação a 2016. Excluídos os efeitos extraordinários, o lucro líquido ajustado foi de R$3,9 bilhões, queda de 4,8% sobre o lucro líquido ajustado de 2016.

(MR – Investimentos e Notícias)