Ibovespa recua em linha com o mercado externo

  •  
Ibovespa recua em linha com o mercado externo (Foto: Divulgação) Ibovespa recua em linha com o mercado externo

Nesta sexta-feira, 27, o principal índice acionário da BM&FBovespa, o Ibovespa, apresenta perdas em linha com o mercado externo. Há pouco, o índice, desvalorizava 0,36%, aos 53.311 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 1.357 bilhão.

De acordo com relatório diário da Lerosa Investimentos, a bom desempenho da Vale, em virtude da melhora dos preços do minério, foi suficiente para manter o Ibovespa no terreno positivo. O mau humor com as condições da economia local deixam limitadas as chances de recuperação de outros setores como o siderúrgico e varejo. Como ainda não temos novidades eleitorais que possam justificar algum otimismo de longo prazo mais concreto, as recuperações dos ativos de risco no Brasil vão se limitar a ajustes pontuais e concentrados em poucos setores. Para hoje, a abertura negativa de NY vai incrementar o movimento de queda por aqui. O noticiário não é expressivo e investidores aguardarão os dados fiscais a serem divulgados ao longo da manhã.

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da Marfrig (ON) que avançavam 4,29% e a BRF (ON) que apresentavam alta de 1,84%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da Oi (PN), que recuavam 4,72% e a Gerdau (PN) que apresentavam revés de 2,79%.

E abrindo a agenda de indicadores internos, a Fundação Getulio Vargas (FGV) anunciou que o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) variou -0,74% em junho. Em maio, o índice variou -0,13%.

Por outro lado, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que em maio de 2014, o Índice de Preços ao Produtor (IPP) variou -0,24% em comparação ao mês anterior, número superior ao observado na comparação entre abril/14 e março/14 (-0,41%).

No exterior dados norte-americanos ganham destaque. A Universidade de Michigan anunciou nesta sexta-feira, 27, que a confiança dos consumidores americanos aumentou levemente em junho, surpreendendo os analistas. O indicador ficou em 82,5 pontos, o que supõe um aumento de 0,6 ponto em relação a maio, enquanto os analistas esperavam uma leve queda de 0,2 ponto.

(MR - Agência IN)