Ibovespa recua com dados externos

  •  
Ibovespa recua com dados externos (Foto: Divulgação) Ibovespa recua com dados externos

Nesta terça-feira, 08, o principal índice acionário da BM&FBovespa, o Ibovespa, apresenta perdas em linha com o mercado externo. Há pouco, o índice, desvalorizava 0,20%, aos 53.693 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 1.773 bilhão.

De acordo com relatório diário da Lerosa Investimentos, os dias de calmaria estão contados. A partir de segunda-feira, com o término da Copa do Mundo, as preocupações vão se focar na questão eleitoral e o futuro das condições macroeconômicas do país. A equação de baixo crescimento + inflação tem ingrediente complicador que é a fragilidade fiscal e essa espiral de preocupação só pode ser quebrada pela atitude política do próximo governo de aprovar medidas que tornem o país mais competitivo. Enquanto isso não acontece, ficamos por conta do humor externo. Para hoje, o tom é de cautela com a proximidade da temporada de balanços corporativos nos Estados Unidos. A atual precificação elevada dos ativos tem que ser sustentada por resultados convincentes. Nesse movimento de cautela, bolsas japonesa e europeias operam em queda. A Petrobras divulgou na noite de ontem que não está tratando a exploração de campos no entorno de Iara, o que pode trazer recuperação ao ativo na abertura. Vale e siderúrgicas podem sentir negativamente a notícia de que os portos chineses registram aumento no estoque do minério de ferro.

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da CCR (ON) que avançavam 1,04% e a BBSeguridade (ON) que apresentavam alta de 0,92%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da Oi (PN), que recuavam 5,11% e a MMX (ON) que apresentavam revés de 2,73%.

E abrindo a agenda de indicadores internos, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou que o índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês de junho apresentou variação de 0,40%, ficando 0,06 ponto percentual abaixo da taxa registrada no mês de maio (0,46%). Em desaceleração pelo terceiro mês consecutivo, o grupo Alimentação e Bebidas foi de 0,58% em maio para -0,11% em junho, o menor resultado desde julho de 2013 (-0,33%).

Além disso, a Fundação Getulio Vargas (FGV) revelou que o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) variou -0,63% em junho. A variação registrada em maio foi de -0,45%. Em junho de 2013, a variação foi de 0,76%. A taxa acumulada em 2014, até junho, é de 2,10%. Por fim, em 12 meses, o IGP-DI avançou 5,77%.

No exterior o destaque fica por conta da Alemanha. Em maio, as exportações alemãs registram queda de 1,2% em maio em relação a junho, ao mesmo tempo em que as importações recuaram 3,4%, impulsionando o resultado da balança comercial no período.

(MR – Agência IN)