Ibovespa oscila com Petrobras

  •  
Ibovespa oscila com Petrobras    (Foto: Divulgação) Ibovespa oscila com Petrobras

Nesta terça-feira, 10, o principal índice acionário da BM&FBovespa, o Ibovespa, oscila entre ganhos e perdas, influenciado pela ações da Petrobras. Há pouco, o índice, desvalorizava 0,46%, aos 54.022 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 2.260 bilhões.

De acordo com relatório diário da Lerosa Investimentos, impulsionado por pesquisas eleitorais, o Ibovespa se aproxima da máxima do ano e pode mostrar ainda vigor se forem confirmadas as especulações de que o empate técnico em eventual segundo turno entre Aécio e Dilma se concretizar. A aproximação do vencimento de opções também ajuda a trazer mais volatilidade ao índice brasileiro. O último dia de negociações é na sexta, quando estiverem sendo divulgados mais três levantamentos, Ibope, Sensus e Vox Populi. Para hoje, temos o vetor negativo com abertura negativa em NY, aliado à queda das commodites metálicas, após o desconforto com possível fraude em porto chinês que estoca o minério de ferro. Europa contribui  positivamente hoje, após a divulgação da produção industrial melhor no Reino Unido, França e Itália. A agenda de divulgação de dados econômicos é fraca e as especulações eleitorais devem nortear os negócios por aqui.   

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da Eletropaulo (PN) que avançavam 4,10% e a Light (ON) que apresentavam alta de 2,04%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da Cia. Hering (ON), que recuavam 2,52% e a Bradespar (PN) que apresentavam revés de 2,35%.

Do lado corporativo, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto da Costa, confirmou que a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, era necessária e foi um bom negócio na época da realização, em 2006.    'Naquele momento era um bom negócio. Ninguém coloca petróleo cru na indústria, no carro ou no avião. Ter refinaria é algo importante e estratégico', explicou.

E abrindo a agenda de indicadores internos, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) divulgou que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), na cidade de São Paulo, recuou e ficou em 0,22% na primeira prévia de junho, ante 0,25% registrados na semana anterior. Nesta apuração, o item de Habitação pesa mais no orçamento doméstico passando -0,24% para 0,01%.

Por fim, a Fundação Getulio Vargas (FGV) anunciou que o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) registrou, na apuração referente ao primeiro decêndio (também denominada primeira prévia) de junho, variação de -0,64%. Para o mesmo período de apuração do mês anterior, a variação foi de 0,06%.

(MR – Agência IN)