Grécia preocupa investidores globais

  •  
Grécia preocupa investidores globais (Foto: Divulgação) Grécia preocupa investidores globais

Nesta terça-feira, 12, as principais bolsas de valores globais apresentam movimentos opostos, com investidores de olho na Grécia. Aqui no Brasil, o Ibovespa oscila entre ganhos e perdas, com agentes avaliando o cenário externo e interno.

Na Ásia, a maioria das bolsas encerrou o pregão desta terça-feira em alta, ainda sob reflexo da redução de juros na China, ocorrida no final de semana.

Por outro lado, as bolsas europeias caminham para um fechamento em campo negativo. Em Frankfurt, o DAX opera com perdas de 1,57%, a 11.490 pontos. Em Londres, o FTSE 100 recua 1,21%, a 6.944 pontos, enquanto o CAC 40 apresenta queda de 0,94%, a 4.980 pontos.

Hoje, Atenas pagou o FMI uma parcela de € 750 milhões recorrendo a um "fundo de emergência" do Banco da Grécia destinado a cobrir "necessidades extraordinárias", informou à AFP uma fonte do Banco Central. "É uma iniciativa do presidente do Banco da Grécia para sair do bloqueio", afirmou a fonte.

Entre os dados da agenda local, a produção industrial no Reino Unido registrou acréscimo de 0,7% em março de 2015, na comparação com o mesmo período do ano anterior, segundo informações divulgadas hoje pela Agência Nacional de Estatísticas da região, National Statistics. O dado veio acima do esperado pelo mercado, que previa expansão de 0,2%. No mês anterior, houve recuo de 0,1%.

Em Wall Street, o cenário não é diferente e bolsas apresentam perdas. Com isso, o índice Dow Jones perde 0,22% aos 18.064 pontos; o S&P 500 recua 0,37% a 2.097 pontos; e a bolsa eletrônica Nasdaq apresenta queda de 0,43% aos 4.972 pontos.

Aqui no Brasil, o Ibovespa oscila entre ganhos e perdas, com investidores avaliando o cenário externo e interno. Há pouco, o índice, valorizava 0,04%, aos 57.218 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 2.156 bilhões.

E abrindo a agenda de indicadores internos, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), na cidade de São Paulo, registrou queda de 1,04% na primeira semana de maio, contra os 1,10% registrados na última semana do abril. Nesta apuração, o item de Saúde pesa mais no orçamento doméstico, passando de 1,48% para 1,95%. Além disso, o grupo de Despesas Pessoais também apresentou ganhos (0,05% para 0,15%).

Por outro lado, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que a redução no ritmo da produção industrial nacional na passagem de fevereiro para março, série com ajuste sazonal, foi acompanhada por cinco dos 14 locais pesquisados, com destaque para os recuos mais acentuados registrados por Ceará (-3,1%), Minas Gerais (-2,5%), Paraná (-2,3%) e Pernambuco (-2,2%).

Do lado corporativo, a Kroton Educacional anunciou que seu lucro líquido ajustado totalizou R$ 455,3 milhões no primeiro trimestre de 2015 (1T15), 56,9% superior ao montante de R$ 290,2 milhões apresentado no mesmo período do ano passado.

Já a Abril Educação fechou o primeiro trimestre de 2015 com receita líquida de R$ 374,7 milhões, 12% a mais do que o mesmo período do ano passado. Esse aumento decorre da contribuição positiva dos segmentos de Sistemas de Ensino e Escolas e Cursos Preparatórios, que devem compor a base de alunos para o ano letivo de 2015.

Entre as notícias internas, o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, participou ontem da cerimônia de devolução à Petrobras de valores recuperados pela Operação Lava Jato. Na ocasião, foi feita a entrega simbólica de R$ 157 milhões à companhia, referentes a valores repatriados pelo Ministério Público Federal na Operação Lava Jato.

Na renda fixa, os juros futuros operam em alta. Instantes atrás o contrato de DI, com vencimento em janeiro de 2017, o mais negociado, apresentava taxa anual de 13,59%.

Para finalizar, o dólar opera com perdas de 0,59%. Há pouco, a moeda era vendida a R$ 3,034.

(MR – Agência IN)