FED deverá influenciar pregão global

  •  
FED deverá influenciar pregão global (Foto: Divulgação) FED deverá influenciar pregão global

A expectativa de que o Federal Reserve (Fed) mantenha a sua estratégia gradualista de normalização da política monetária deixa investidores animados e as principais bolsas de valores globais devem apresentar ganhos nesta quinta-feira, 26. Diante deste cenário, os índices europeus e o indicador futuro das bolsas norte-americanas operam em campo positivo.

Na Ásia, as bolsas encerraram em alta o pregão e na Europa, as bolsas apresentam ganhos nesta manhã.

Em Wall Street, o indicador futuro das bolsas norte-americanas aponta para uma abertura em campo positivo. Mas, investidores aguardam a divulgação dos pedidos de auxílio desemprego semanal.

Na região, a gigante americana do alumínio Alcoa avança no setor aeronáutico com a compra, por US$ 2,85 bilhões, da empresa Firth Rixson, especializada na fabricação de componentes para motores de aviões. A operação será realizada com US$ 2,35 bilhões em dinheiro e o restante em ações.

Aqui no Brasil, o Ibovespa deverá acompanhar o cenário externo.

E abrindo a agenda de indicadores internos, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) anunciou que o índice de preços ao consumidor (IPC), na cidade de São Paulo, recuou e ficou em 0,03% na terceira prévia de junho, ante 0,16% registrados na semana anterior. Nesta apuração, o item de Habitação pesa mais no orçamento doméstico passando 0,21% para 0,27%. Além disso, o item de Transportes também apresenta ganhos, passando de -0,14% para -0,09%.

Além disso, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou que em maio de 2014 a taxa de desemprego ficou estável nas quatro regiões divulgadas (Recife, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo), em relação ao mês anterior. Já em comparação com o mesmo período do ano anterior, a taxa declinou 1,8 ponto percentual no Rio de Janeiro e 1,2 ponto percentual em São Paulo. Em Recife e Belo Horizonte, o cenário foi de estabilidade.

E para finalizar, o mercado de moedas não exibe direção única, com a valorização do iene e da libra e a desvalorização do euro frente ao dólar.

(MR – Agência IN)