Dólar comercial deve finalizar a semana com perdas

  •  
dólar comercial apresenta perdas de 0,84% (Foto: Divulgação) dólar comercial apresenta perdas de 0,84%

O dólar comercial apresenta perdas de 0,84% nesta sexta-feira, 06, com investidores de olho na agenda norte-americana. A moeda norte-americana era cotada a R$ 2,242 na compra e R$ 2,244 na venda.

De acordo com relatório diário da Lerosa Investimentos, os juros americanos tiveram ligeiro recuo ontem, e o claro desconforto do Banco Central com a reação do câmbio no início da semana mostrou que, posições compradas acima de R$ 2,30 podem ser custosas. Sendo assim, o mercado realizou parte dos lucros recentes e fez a moeda brasileira se valorizar no dia de ontem. Para hoje, a definição do movimento dependerá da leitura do payroll americano, a ser divulgado pela manhã. Esse indicador tende a ser chave no tempo do BC americano em subir os juros por lá, atuando diretamente na atratividade da moeda americana e impactando diretamente nos fluxos para os países emergentes.

Hoje, o Departamento de Trabalho dos EUA anunciou que a taxa de desemprego permaneceu em 6,3% em maio, enquanto a economia criou 217.000 novos empregos, superando pela primeira vez os níveis anteriores à recessão. "Com os avanços alcançados em maio, o número de empregos supera agora os níveis de antes da recessão", explicou o ministério em um comunicado.

Além disso, a Federação Europeia de Bancos (EBF) advertiu que a decisão do Banco Central Europeu (BCE) de levar uma das taxas de juros a território negativo, uma medida que considera principalmente simbólica, pode repercutir nos clientes.

Aqui no Brasil, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou nesta sexta-feira, 06, que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês de maio apresentou variação de 0,46%, ficando 0,21 ponto percentual abaixo da taxa registrada no mês de abril (0,67%). Alimentação e Bebidas (de 1,19% em abril para 0,58% em maio), que mais uma vez apresentou desaceleração no ritmo de crescimento de preços, e Transporte (de 0,32% para -0,45%), que chegou a se mostrar em queda, foram os responsáveis pela redução da taxa do IPCA de maio.

(MR – Agência IN)