Destaques da última semana: Fed aumenta juros nos EUA e PEC do teto é aprovada no Brasil

  •  
Destaques da última semana: Fed aumenta juros nos EUA e PEC do teto é aprovada no Brasil Foto: Divulgação Destaques da última semana: Fed aumenta juros nos EUA e PEC do teto é aprovada no Brasil

O cancelamento da abertura de capital da Tenda e o aumento da reprovação do governo Temer também foram destaques nacionais. No exterior, decisão do FED já era bastante aguardada pelo mercado.

BRASIL
Mercados domésticos
Durante a última semana foram divulgados os resultados das vendas no varejo brasileiro. Houve recuo de 0,8% em outubro na comparação com o mês anterior e de 8,2% em relação ao mesmo período do ano passadaposento. O setor de serviços teve queda de 7,6% em comparação ao mesmo período de 2015, demonstrando queda maior do que as estimativas. Além disso, o IGP-10, indicador de inflação, subiu 0,20% em dezembro e acumulou alta de 6,95% em 2016. Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou variação positiva de 0,31% em dezembro.

Cenário Político
O principal destaque da semana foi a decisão do governo de mexer na remuneração do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). A nova proposta é para distribuir até 50% do resultado do FGTS, o que elevará os ganhos com o fundo, hoje limitados a 3% ao ano mais taxa referencial. Além disso, há proposta de reduzir a alíquota atual paga por empresas ao FGTS caso o trabalhador seja demitido sem justa causa. 

Também ganhou destaque a aprovação da proposta de orçamento para 2017 com o limite estabelecido nas regras da PEC dos gastos públicos. Outro evento importante foi o levantamento Datafolha sobre a desaprovação do presidente Michel Temer, que saltou de 31% para 51% entre julho e dezembro. No que se refere às reformas na previdência, o governo federal manifestou expectativa de que a proposta passe pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara até o começo da semana que vem. 

Cenário Corporativo 
Neste âmbito, ganhou destaque a Gafisa (GFSA3), que cancelou a abertura de capital (ou IPO, em inglês) da Tenda, sua divisão de baixa renda. Na Usiminas (USIM5), cinco conselheiros protocolaram manifestação junto à Comissão de Valores Mobiliários para que a autarquia reconheça a decisão do Conselho de Administração de eleger nova diretoria. 

No setor elétrico, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou a reorganização societária da Eletropaulo (ELPL4), dando o prazo de 120 dias para que a reestruturação seja implementada. Para dividendos, a Weg (WEGE3) pagará juros sobre o capital próprio (JSCP) em aproximadamente R$ 0,08 por ação e a Odontoprev (ODPV3) distribuirá R$ 0,02 por ação também na forma de JSCP.

MUNDO
EUA
O Federal Reserve elevou a taxa dos FED Funds para a faixa entre 0,50% e 0,75%, e a taxa de redesconto de 1,00% para 1,25%. O órgão norte-americano também sinalizou que poderá haver três altas de juros por ano até 2019 nos EUA. A instituição também elevou a previsão de crescimento do PIB dos Estados Unidos deste ano para 1,9%. O índice de preços ao consumidor (CPI) subiu 0,2% em novembro na comparação com outubro. O número de pedidos de auxílio-desemprego recuou 4 mil na semana encerrada em 10 de dezembro, para 254 mil. O índice de confiança das construtoras subiu para 70 em dezembro, sendo que em novembro estava em 63.

Europa
O superávit comercial da zona do euro recuou para 20,1 bilhões de euros (US$ 20,9 bilhões) em outubro, com uma queda nas exportações e um aumento nas importações. No mesmo mês de 2015 era 23,5 bilhões de euros. A produção industrial teve leve queda de 0,1% em outubro frente a setembro. Já na comparação anual, a produção cresceu 0,6% em outubro de 2016. O índice de gerentes de compras (PMI) composto da zona do euro ficou em 53,9 em dezembro, repetindo o resultado do mês anterior.

Ásia
As vendas de moradias na China subiram 16,2% em valor na comparação anual de novembro, mostrando forte desaceleração ante o ganho de 38,3% verificado em outubro. A produção industrial da China avançou 6,2% em novembro ante um aumento de 6,1% no mês anterior. O Banco do Povo da China (PBoC) injetou 394 bilhões de yuans (US$ 56,74 bilhões) em recursos no sistema bancário do país por meio da linha de crédito de médio prazo, de forma a manter ampla liquidez no sistema financeiro nacional.

(Redação - Agência IN)