Dados globais devem influenciar pregão

  •  
Dados globais devem influenciar pregão (Foto: Divulgação) Dados globais devem influenciar pregão

As principais bolsas de valores globais devem apresentar movimentos opostos nesta segunda-feira, 09, influenciadas por dados divulgados ao redor do mundo. Diante deste cenário, os índices europeus e o indicador futuro das bolsas norte-americanas operam sem definir uma tendência. 

Na Ásia, as bolsas encerraram o primeiro pregão da semana em alta, refletindo a melhora das exportações chinesas em maio. As exportações chinesas cresceram 7% em maio em relação ao mesmo período do ano passado, surpreendendo de forma positiva as expectativas (6,7%) e avançando ante a alta de 0,9% registrada em abril.

Além disso, o governo do Japão anunciou que a economia japonesa cresceu 1,6% no primeiro trimestre, graças ao forte consumo dos lares antes da alta do IVA. O Produto Interno Bruto (PIB) da terceira economia do planeta cresceu um pouco mais que o anunciado nos dados preliminares publicados em meados de maio, que anunciaram um crescimento de 1,5% em relação ao quarto trimestre de 2013.

Enquanto isso, na Europa, as bolsas apresentam desempenho opostos.

Na região, o Instituto Nacional de Estatísticas (INE) revelou que o Produto Interno Bruto (PIB) de Portugal registrou contração de 0,6% no primeiro trimestre de 2014, na comparação com o período anterior. O resultado, explicado por uma queda das exportações, confirma a recaída surpreendente da economia portuguesa depois da recuperação iniciada em 2013.

Em Wall Street, o indicador futuro das bolsas norte-americanas  aponta para uma abertura em campo negativo, após terem atingido níveis recordes na última semana.

Aqui no Brasil, o Ibovespa deverá acompanhar o desempenho dos pares externos.

E abrindo a agenda de indicadores internos, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) publicou que o índice de preços ao consumidor – semanal (IPC-S) de 07 de junho de 2014 apresentou variação de 0,46%, 0,06 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa registrada na última divulgação.

Entre as notícias locais, o Banco Central divulgou o Boletim Focus, que na medição a expectativa para o crescimento da produção industrial neste ano recuou para 0,96%. Para o ano seguinte, a expectativa ficou em 2,25%. Por outro lado, a previsão para a taxa de câmbio em 2014 permaneceu em R$ 2,40. Para 2015 a taxa ficou em R$ 2,50.

Para finalizar, a surpresa com as vendas externas chinesas impulsionam as moedas asiáticas, que se fortalecem em relação ao dólar.

(MR – Agência IN)