Dados da Alemanha derrubam bolsas globais

  •  
Dados da Alemanha derrubam bolsas globais (Foto: Divulgação) Dados da Alemanha derrubam bolsas globais

As principais bolsas de valores globais operam em campo negativo nesta terça-feira, 08, influenciadas por dados divulgados na Alemanha. Aqui no Brasil, o Ibovespa acompanha o exterior e recua 0,20%.

Na Ásia, as bolsas encerraram o pregão em queda seguindo o fechamento de ontem do mercado norte-americano, enquanto aguarda a ata da última reunião do Fed, que será divulgada amanhã. No sentido contrário, a bolsa de Shanghai mostrou ligeira alta na sessão de hoje.

Enquanto isso, na Europa, as bolsas caminham para um fechamento em queda, influenciadas pela divulgação da produção industrial do Reino Unido e da balança comercial da Alemanha que surpreenderam negativamente.

Em Londres, o índice FTSE 100 recua 1,25%, a 6.738 pontos. Em Frankfurt, o DAX 30 tem queda de 1,35%, a 9.772 pontos, enquanto o CAC 40 em Paris recua 1,44%, a 4.342 pontos.

Em maio, as exportações alemãs registram queda de 1,2% em maio em relação a junho, ao mesmo tempo em que as importações recuaram 3,4%, impulsionando o resultado da balança comercial no período.

Em Wall Street, o cenário não é diferente e bolsas recuam. Com isso, o índice Dow Jones recua 0,80% aos 16.887 pontos; o S&P 500 cai 0,85% a 1.960 pontos; e a bolsa eletrônica Nasdaq apresenta perdas de 1,63% aos 4.378 pontos.

Aqui no Brasil, o Ibovespa apresenta perdas em linha com o mercado externo. Há pouco, o índice, desvalorizava 0,20%, aos 53.693 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 1.773 bilhão. E vale destacar que o pregão nacional fechará às 14h30 por conta do jogo da seleção brasileira.

E abrindo a agenda de indicadores internos, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou que o índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês de junho apresentou variação de 0,40%, ficando 0,06 ponto percentual abaixo da taxa registrada no mês de maio (0,46%). Em desaceleração pelo terceiro mês consecutivo, o grupo Alimentação e Bebidas foi de 0,58% em maio para -0,11% em junho, o menor resultado desde julho de 2013 (-0,33%).

Além disso, a Fundação Getulio Vargas (FGV) revelou que o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) variou -0,63% em junho. A variação registrada em maio foi de -0,45%. Em junho de 2013, a variação foi de 0,76%. A taxa acumulada em 2014, até junho, é de 2,10%. Por fim, em 12 meses, o IGP-DI avançou 5,77%.

Na renda fixa, os juros futuros operam em alta. Instantes atrás o contrato de DI, com vencimento em janeiro de 2017, o mais negociado, apresentava taxa anual de 11,38%.

Para finalizar, o dólar opera com perdas de 0,49%. Há pouco, a moeda era vendida a R$ 2,214.

(MR – Agência IN)