Condenação de Lula e parecer da CCJ sobre Temer marcaram a última semana

Destaque Condenação de Lula e parecer da CCJ sobre Temer marcaram a última semana Foto: Divulgação Condenação de Lula e parecer da CCJ sobre Temer marcaram a última semana

Em mais uma semana de mercados influenciados pelo cenário político, a CCJ aprovou relatório favorável a Temer, Lula foi condenado e o projeto da Reforma Trabalhista foi aprovado no Senado.

Brasil
A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou o relatório contrário ao prosseguimento da denúncia contra o presidente Michel Temer. A denúncia por corrupção passiva foi apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A votação no plenário da Câmara ficou para dia 2 de agosto, após o recesso parlamentar que começa na próxima terça-feira, dia 18.

O juiz Sérgio Moro condenou em primeira instância o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e seis meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá. Essa sentença reduz a chance de Lula ser candidato a presidente nas eleições de 2018 e gerou movimento de alta no mercado. 

Raquel Dodge teve sua indicação ao comando da Procuradoria Geral da República aprovada pelo Senado. Raquel irá substituir o atual procurador-geral da República, Rodrigo Janot, cujo mandato termina no dia 17 de setembro deste ano.

Após tentativas de obstrução da oposição, o projeto da Reforma Trabalhista, que altera 100 trechos da CLT, foi aprovado no Senado e sancionado pelo presidente Michel Temer. A reforma passa a valer 120 dias depois da sua sanção.

O Congresso Nacional aprovou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2018, em sessão conjunta com a Câmara dos Deputados e Senado.

Cenário Corporativo
A State Grid decidiu seguir adiante somente com as OPAs por alienação de controle da CPFL (CPFE3) e da CPFL Renováveis.

A Petrobras (PETR4) enviou à Comissão de Valores Mobiliários um comunicado sobre o processo de abertura de capital da BR, que pretende aderir ao segmento do Novo Mercado. Além disso, a estatal recebeu o aval do órgão para não reapresentar os balanços desde 2013.

A J&F vendeu o controle da Alpargatas (ALPA4) para a Itaúsa, a Cambuhy Investimentos e a Warrant pelo preço total de R$ 3,5 bilhões. O TRF liberou a venda das operações de carne bovina da JBS (JBSS3) na América do Sul para o frigorífico Minerva (BEEF3), que estava embargada desde o dia 21 de junho.

A QGEP Participações (QGEP3) aceitou uma oferta não solicitada da Statoil Brasil para adquirir sua fatia de 10% no Bloco BM-S-8, que pertence à QGEP, por US$ 379 milhões.

Mundo
EUA
Teve início a temporada de balanços nos EUA, com os bancos JP Morgan e Citigroup, após declarações mais favoráveis à manutenção de estímulos monetários da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen. Segundo a dirigente, haverá um ciclo de aperto mais curto e ameno do que o esperado.

Segundo o Livro Bege, a economia americana apresentou expansão. As vendas do varejo ficaram abaixo do esperado, recuando 0,2% em junho.
Donald Trump reafirmou seu plano de impor novas restrições à importação de aço. O tema é acompanhado com atenção pelos investidores por conta da atuação da Gerdau (GGBR4) nos EUA.

Europa
A zona do euro teve superávit comercial de 21,4 bilhões de euros em maio. As exportações do bloco subiram 12,9% na comparação anual de maio, enquanto as importações avançaram 16,4%.

Ásia
O CPI da China subiu 1,5% em junho na comparação com o mesmo período do ano anterior. As exportações tiveram expansão anual de 11,3%, já as importações do país saltaram 17,2% em junho em relação ao mesmo mês do ano passado. Já o superávit comercial da China aumentou para US$ 42,77 bilhões em junho.

A produção industrial do Japão, por sua vez, diminuiu 3,6% em maio ante abril.

(Redação - Agência IN)

Última modificação emSegunda, 17 Julho 2017 10:21