Bolsas sobem impulsionadas por dados dos EUA nesta sexta-feira

Bolsas sobem impulsionadas por dados dos EUA (Foto: Divulgação) Bolsas sobem impulsionadas por dados dos EUA

As principais bolsas de valores globais apresentam ganhos nesta sexta-feira, 04, impulsionadas por dados dos Estados Unidos. Com isso, as bolsas europeias e norte-americanas apresentam ganhos nesta manhã.

Ásia

Na Ásia, as bolsas encerraram o pregão em queda. O índice Nikkei recuou 0,38%, aos 19.952,33 pontos, enquanto o índice Topix de todos os valores caiu 0,15%, aos 1.631,45 pontos. O principal indicador da bolsa nipônica registrou perdas de 0,04% na semana.

Europa

Enquanto isso, na Europa, as bolsas apresentam ganhos nesta manhã.

Na região, o Índice Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de varejo da Zona do Euro recuou para 51 pontos em julho deste ano, ante 53,2 pontos no mês anterior, segundo informações divulgadas hoje pelo Instituto Markit Economics.

Por outro lado, os novos pedidos à indústria alemã registraram alta de 1,0% em junho de 2017, na comparação com o mês anterior, segundo dados divulgados hoje, 04, pelo Escritório Estatístico do país, Destatis. O dado veio acima do esperado pelo mercado, que previa uma alta de 0,5%. No mês anterior, o indicador registrou alta de 1,1% (dado revisado sazonalmente).

EUA

Em Wall Street, o cenário não é diferente e bolsas sobem.

Por lá, a taxa de desemprego ficou em 4,3% em julho, informou o departamento do Trabalho. O número ficou abaixo dos 4,4% de junho e em linha com o esperado por analistas (4,3%).

Além disso, os Estados Unidos criaram 209 mil vagas de trabalho em julho deste ano, uma queda em relação as 231 vagas registradas de junho, segundo dados do Departamento de Trabalho do País. Analistas esperavam uma queda para 183 mil novos postos de trabalho.

Brasil

Aqui no Brasil, o Ibovespa deverá seguir o comportamento externo e atentar-se à agenda doméstica de indicadores.

Agenda

O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) do mês de julho apresentou variação de 0,31%, taxa 0,76 ponto percentual (p.p.) acima da apurada em junho, quando o índice registrou variação de -0,45%, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Com este resultado, o indicador acumula alta de 1,84%, no ano e, 2,40%, nos últimos 12 meses.

Empresas

O Lucro líquido da Smiles no segundo trimestre de 2017 (2T17) totalizou R$ 146,2 milhões, com margem líquida de 33,1% apresentando crescimento de 18,3% em relação ao 2T16 e -6,5% em relação ao 1T17. Já o lucro líquido trimestral foi de R$146,2 milhões, representando margem líquida de 33,1%, 2,2 p.p inferior ao 2T16.

Câmbio

Por fim, no mercado de câmbio, o dólar deverá apresentar perdas em relação às demais moedas globais.

(MR – Agência IN)

Última modificação emSexta, 04 Agosto 2017 13:34