Bolsas recuam com instabilidade política nos EUA

Bolsas recuam com instabilidade política nos EUA (Foto: Divulgação) Bolsas recuam com instabilidade política nos EUA

As principais bolsas de valores globais devem apresentam perdas nesta quarta-feira, 17, refletindo o aumento das preocupações com a estabilidade política nos Estados Unidos. Com isso, as bolsas europeias e o indicador futuro das bolsas norte-americanas operam em campo negativo.

Ásia

As bolsas asiáticas encerraram o pregão em baixa, com destaque para a queda de 0,5% em Tóquio.

Entre os dados da região, a produção industrial do Japão recuou 1,9% no mês de março, na comparação com o mês anterior, segundo dados divulgados hoje pelo Ministério da Economia do país. Na leitura anterior, houve uma queda de 2,1%.

Europa

Na Europa, as bolsas apresentam perdas nesta manhã.

Por lá, o Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) nos 17 países que compõem a zona do euro apontou inflação mensal de 0,4% em abril deste ano, segundo informações divulgadas hoje pelo Escritório de Estatísticas da União Europeia, Eurostat. Analistas previam variação de 0,4% no período.

Além disso, a taxa de desemprego do Reino Unido ficou em 4,6% nos três meses encerrados em março, ante taxa de 4,7%, segundo informações divulgadas hoje pela Agência de Estatísticas do país, National Statistics. Analistas previam estabilidade do indicador.

Estados Unidos

Em Wall Street, o indicador futuro das bolsas norte-americanas aponta para uma abertura em campo negativo. 

Brasil

Aqui no Brasil, o Ibovespa deverá seguir a tendência externa.

Agenda

Na agenda doméstica estão previstas a divulgação dos dados da confiança do empresário industrial da CNI referentes a maio, enquanto a FIESP divulga os dados de emprego industrial.

Câmbio

Para finalizar, no mercado de câmbio, o dólar deverá apresentar perdas em relação às demais moedas globais. Vale destacar que o Banco Central anunciou que irá realizar hoje um leilão de swap cambial reverso, das 11h30 às 11h40. Serão ofertados até 8 mil contratos com vencimento em outubro deste ano e janeiro de 2018.

(Redação – Agência IN)