Bolsas operam de lado com FED e Iraque

  •  
Bolsas operam de lado com FED e Iraque (Foto: Divulgação) Bolsas operam de lado com FED e Iraque

Nesta sexta-feira, 20, as principais bolsas de valores globais apresentam movimentos opostos, com investidores avaliando a decisão do Federal Reserve e os conflitos no Iraque. Aqui no Brasil, o Ibovespa recua pressionado pela desvalorização das ações da Petrobras. 

Na Ásia, a Bolsa de Tóquio encerrou a sessão com leve baixa de 0,08%. O índice Nikkei 225 fechou o dia com 15.349,42 pontos.

Enquanto isso, na Europa, as bolsas caminham para um fechamento de lado, refletindo a decisão do Fed, anunciada na última quarta-feira, afirmando que a taxa de juros seguirá em patamar baixo por um período prolongado e esperando uma taxa de longo prazo mais baixa.

Além disso, a cautela ainda segue presente por conta dos conflitos existentes no Iraque, mesmo que as tensões possam estar recuando.

Em Londres, o índice FTSE 100 sobe 0,28%, a 6.827 pontos. Em Frankfurt, o DAX 30 tem queda de 0,05%, a 9.999 pontos, enquanto o CAC 40 em Paris recua 0,48%, a 4.541 pontos.

Em Wall Street, bolsas apresentam ganhos. Com isso, o índice Dow Jones sobe 0,29% aos 16.970 pontos; o S&P 500 avança 0,20% a 1.963 pontos; e a bolsa eletrônica Nasdaq apresenta ganhos de 0,08% aos 4.362 pontos.

Aqui no Brasil, o Ibovespa apresenta perdas, pressionado pela desvalorização das ações da Petrobras. Há pouco, o índice, desvalorizava 0,98%, aos 54.660 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 1.684 bilhão.

Na véspera, o Ibope revelou que a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, do PT, tem 39% das intenções de votos, em segundo lugar aparece Aécio Neves, do PSDB, com 20%.

E abrindo a agenda de indicadores internos, o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude - Consumidor apontou que maio registrou 171.325 tentativas de fraude conhecida como roubo de identidade, em que dados pessoais são usados por criminosos para firmar negócios sob falsidade ideológica ou mesmo obter crédito com a intenção de não honrar os pagamentos.

Na renda fixa, os juros futuros operam em alta. Instantes atrás o contrato de DI, com vencimento em janeiro de 2017, o mais negociado, apresentava taxa anual de 11,47%.

Para finalizar, o dólar opera com ganhos de 0,36%. Há pouco, a moeda era vendida a R$ 2,238.

(MR – Agência IN)