Bolsas operam de lado após acordo nos EUA

  •  
Bolsas operam de lado após acordo nos EUA (Foto: Divulgação) Bolsas operam de lado após acordo nos EUA

Os mercados acionários globais apresentam sinais opostos nesta terça-feira, 23, após o fim da paralisação das atividades do governo dos Estados Unidos. Com isso, os índices europeus e norte-americanos operam de lado nesta tarde.

De acordo com relatório diário do Bradesco, na noite de ontem, as autoridades norte-americanas sancionaram a lei que permite a ampliação do limite de endividamento do governo federal, interrompendo a paralização de suas atividades, iniciada com o impasse no Senado no final da semana passada. A votação efetivada no Congresso concede ao governo federal o direito de se financiar e ampliar seus gastos até 8 de fevereiro. O acordo entre Democratas e Republicanos garantiu a rápida aprovação da proposta no Senado, por 81 a 18 votos, e na Câmara dos Deputados, por 266 a 150. O fim do impasse entre os partidos ocorreu após o Republicanos aceitarem colocar em votação o aumento no financiamento do DACA, programa que impede a deportação de imigrantes que entraram no país ainda crianças e que permanecem de forma ilegal no país.

Ásia

Na Ásia, as bolsas encerraram em campo positivo. O índice Nikkei subiu 1,29%, aos 24.124,15 pontos. As maiores altas foram registradas nas ações das empresas: Tokan Carbon Co: 5,54%; Showa Denko: 5,12% e as da Shiseido Co: 4,82%.

Europa

Na Europa, as bolsas finalizaram o dia de lado.

Entre os dados locais, o instituto de pesquisas Zentrum für Europaische Wirtschaftsforschung (Zew) divulgou que o índice que mede a confiança na economia dos países da zona do euro entre os analistas financeiros e investidores institucionais, avançou de 29 pontos em dezembro para 31,8 pontos em janeiro deste ano. 

EUA

Em Wall Street, bolsas apresentam sinais opostos.

Brasil

Aqui no Brasil, o Ibovespa recua 0,91%.

Agenda

E abrindo a agenda de indicadores internos, a Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou que o índice de preços ao consumidor - semanal (IPC-S) de 22 de janeiro de 2018 apresentou variação de 0,59%, uma alta de 0,12 ponto percentual (p.p.) em relação à última divulgação.

Além disso, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) teve variação de 0,39% em janeiro e ficou acima da taxa de 0,35% de dezembro em 0,04 ponto percentual (p.p). Depois da variação de 0,31% de janeiro de 2017, esta é a menor taxa para um mês de janeiro desde 1994, quando foi criado o Plano Real. No acumulado dos últimos doze meses, o índice registrou 3,02%, ficando acima dos 2,94% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

(Redação - Investimentos e Notícias)