Bolsas operam de lado à espera do Payroll

  •  
Bolsas operam de lado à espera do Payroll (Foto:Divulgação) Bolsas operam de lado à espera do Payroll

Investidores adotam cautela antes da divulgação do dado de Payroll amanhã nos Estados Unidos. Aqui no Brasil, o Ibovespa recua 0,07%.

'Os mercados voltam a se concentrar na decisão de política monetária do Fed. Sinais de fortalecimento da atividade econômica nos Estados Unidos aumentam as expectativas de alta de juros em dezembro e o dólar se valoriza ante as principais moedas', explicou Octavio de Barros, diretor de pesquisas e estudos econômicos do Bradesco.

Na Ásia, as bolsas de Tóquio e Hong Kong encerram o dia em alta e as bolsas chinesas seguem fechadas devido ao feriado nacional.

Enquanto isso, na Europa, as bolsas caminham para um fechamento de lado. Em Frankfurt, o DAX opera com ganhos de 0,01%, a 10.586 pontos. Em Londres, o FTSE 100 cai 0,28%, a 7.013 pontos, enquanto o CAC 40 apresenta alta de 0,05%, a 4.492 pontos.

Na agenda local, o Índice Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de varejo nos 17 países que compõem a zona do euro recuou para 49,6 pontos em setembro deste ano, ante 51 pontos mês anterior, segundo informações divulgadas hoje pelo Instituto Markit Economics.

Por outro lado, os novos pedidos à indústria alemã registraram alta de 1,0% em agosto de 2016, na comparação com o mês anterior, segundo dados divulgados hoje, 06, pelo Escritório Estatístico do país, Destatis. O dado veio acima do esperado pelo mercado, que previa avanço de 0,2%. No mês anterior, o indicador registrou alta de 0,3% (dado revisado sazonalmente).

Em Wall Street, bolsas apresentam perdas. Com isso, o índice Dow Jones perde 0,60% aos 18.172 pontos; o S&P 500 recua 0,26% a 2.154 pontos; e a bolsa eletrônica Nasdaq apresenta queda de 0,65% aos 5.281 pontos.

Aqui no Brasil, o Ibovespa apresenta perdas, com investidores no aguardo dos dados sobre o mercado de trabalho norte-americano que será divulgado amanhã. Há pouco, o índice, operava com queda de 0,07%, aos 60.211 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 1.790 bilhão.

E abrindo a agenda de indicadores internos, o Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) da Fundação Getulio Vargas subiu 3,5 pontos em setembro, atingindo 93,7 pontos. Após a sétima alta consecutiva, o IAEmp alcança o maior nível desde outubro de 2010 (94,3 pontos), sinalizando arrefecimento do ritmo de queda de pessoal ocupado na economia brasileira nos meses seguintes.

O Indicador Coincidente de Desemprego (ICD) por sua vez cresceu 2,8 pontos em setembro, para 98,6 pontos, o maior desde maio de 2016. Ao interromper uma série de três quedas consecutivas, o resultado sinaliza incerteza recuperação lenta das condições presentes do mercado de trabalho.

Já o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que a nona estimativa de 2016 para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas totalizou 183,9 milhões de toneladas, 12,3% inferior à obtida em 2015 (209,6 milhões de toneladas).

Para finalizar, o dólar opera com alta de 0,53%. Há pouco, a moeda era vendida a R$ 3,236.

(MR – Agência IN)