Bolsas devem operar de lado com dados globais

  •  
Bolsas devem operar de lado com dados globais (Foto: Divulgação) Bolsas devem operar de lado com dados globais

As principais bolsas de valores globais devem apresentar movimentos opostos nesta quinta-feira, 10, influenciadas por dados divulgados ao redor do mundo. Diante deste cenário, os índices europeus e o indicador futuro das bolsas norte-americanas operam em queda. 

Na Ásia, as bolsas encerraram em baixa o pregão, após a surpresa para baixo com as exportações de junho da China e queda da produção industrial na França e na Itália.

As exportações chinesas avançaram 7,2% em junho em relação ao mesmo período do ano passado, ficando abaixo do esperado (10,4%) e do registrado em maio (7,0%). As importações cresceram 5,5% na mesma base de comparação, em linha com o consenso do mercado (6,0%) e melhorando ante a queda de 1,6% verificada em maio.

Enquanto isso, na Europa, as bolsas exibem queda nesta manhã, influenciadas pelas preocupações com Portugal.

Na região, o Banco da Inglaterra manteve sua taxa de juros em mínima recorde, mas o ritmo da recuperação da Grã-Bretanha provavelmente irá dividir logo suas autoridades sobre quando começar a tirar o apoio da economia. O Comitê de Política Monetária do BC manteve sua taxa referencial de juros em 0,5%, o mesmo nível desde o pior da crise financeira há mais de cinco anos, e não divulgou um comunicado após a decisão.

Por outro lado, a justiça europeia confirmou nesta quinta-feira a multa de € 152 milhões imposta em 2007 à empresa espanhola Telefónica por abuso de posição dominante. A Comissão Europeia decidiu multar a empresa pela cobrança, entre 2001 e 2006, de preços abusivos aos concorrentes para acessar suas redes de banda larga.

Em Wall Street, o indicador futuro das bolsas norte-americanas aponta para uma abertura em campo negativo. Mas, investidores aguardam a divulgação dos pedidos de seguro-desemprego semanal.

Na véspera, o Federal Reserve anunciou que a economia dos Estados Unidos apresenta sinais de melhora após uma queda surpreendente no primeiro trimestre. "Os dados (...) sugerem que a atividade econômica está melhorando no segundo trimestre após uma forte contração do PIB", indicou o resumo da reunião realizada nos dias 17 e 18 de junho.

Aqui no Brasil, o Ibovespa deverá acompanhar o cenário externo.

Para finalizar, no mercado de câmbio, o dólar deverá apresentar ganhos em relação às demais moedas globais.

(MR – Agência IN)