Aumento dos juros nos EUA e IPO do Burger King são destaques da última semana

  •  
Aumento dos juros nos EUA e IPO do Burger King são destaques da última semana Foto: Divulgação Aumento dos juros nos EUA e IPO do Burger King são destaques da última semana

Os últimos dias também foram marcados pelo adiamento da reforma da Previdência para 2018. No cenário internacional, o destaque foi uma explosão em um terminal rodoviário em Manhattan.

BRASIL
Foi divulgada a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). O documento indica a possibilidade de haver novo corte na taxa básica de juros (Selic) em fevereiro de 2018. As expectativas do mercado apontam para uma redução de 0,25%, o que levaria a Selic para o patamar de 6,75% ao ano. 

Durante praticamente toda a última semana, o Banco Central continuou a fazer ofertas de contratos de swap cambial tradicional para rolagem com vencimento em janeiro.

Cenário político
Na última semana, a notícia do agendamento do julgamento do ex-presidente Lula no caso triplex impactou o Índice Bovespa, levando-o para um movimento de alta. O desembargador Leandro Paulsen solicitou a marcação do julgamento do ex-presidente, que ficou agendado no dia 24 de janeiro do ano que vem. 

Antes dessa divulgação, o Ibovespa caminhava para um fechamento próximo da estabilidade, mas essa informação animou os investidores, puxando o índice para uma alta de 1,8%.

O governo anunciou que a votação da reforma da Previdência ficou para fevereiro de 2018. Entre os motivos alegados está a falta de votos favoráveis para a aprovação do texto ainda este ano. Após o anúncio, as agências de classificação de risco Moody’s e Fitch fizeram um alerta do impacto negativo do adiamento para o rating do Brasil.

O Congresso Nacional aprovou, no fim da noite de quarta-feira (13), o Orçamento da União de 2018. O valor total é de R$3,5 trilhões, incluindo o refinanciamento da dívida pública. A proposta define as receitas e despesas dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário para o ano que vem. 

Além disso, a Câmara manteve a previsão para que os incentivos tributários para empresas que atuam no setor de petróleo durem até 2040. Estão entre esses incentivos a suspensão do pagamento de alguns tributos.

Cenário corporativo
Controlada pela Petrobras (PETR4), a BR Distribuidora se destacou na última semana com a maior oferta pública inicial de ações (do inglês, IPO) do Brasil, desde o ano 2013. A operação da BR foi fechada em R$15 por papel e movimentou R$5 bilhões. 

Os papéis estão sendo negociados com o código BRDT3 e os valores angariados serão destinados ao caixa da Petrobras, que colocou os ativos da distribuidora à venda como parte de seu plano de desinvestimentos.

Outra empresa que seguiu com o processo de abertura de capital foi a rede de fast food Burger King. A empresa antecipou a precificação do seu IPO, concluiu a operação com cada ativo valendo R$18 e movimentou R$2,2 bilhões. 

Em contraposição, os acionistas da Neoenergia decidiram cancelar o IPO em comunicado na noite de ontem. Segundo a companhia o cancelamento das ofertas primárias e secundárias foi tomado diante das “atuais condições de mercado”. 

A B3 anunciou que a partir de 26 março de 2018 o ticker da empresa deixará de ser BVMF3 e passará a ser B3SA3. A Sanepar (SAPR11) concluiu nesta semana uma oferta subsequente de ações que movimentou R$1,040 bilhão. Os papéis foram vendidos a R$ 55,20, mesmo preço que encerraram o pregão.

MUNDO
EUA
No início da semana passada, ocorreu uma explosão em um terminal rodoviário em Manhattan. O incidente deixou quatro feridos e um suspeito foi preso. Com isso, os índices futuros da Bolsa de Nova York chegou a zerar os ganhos, mas ao fim do pregão o sinal positivo prevaleceu. 

Na quarta-feira (13), o Federal Reserve tomou a decisão de aumentar a taxa de juros norte-americana em 0,25 pontos percentuais. Mantendo a projeção de inflação e de três altas nos juros em 2018, por enquanto os juros dos EUA ficam no intervalo entre 1,25% e 1,50%.

EUROPA
A produção Industrial da Zona do Euro ficou acima do esperado em outubro, com expansão de 0,2% ante a setembro.

De acordo com o esperado, os bancos centrais da Europa mantiveram suas taxas de juros de referência estáveis na última quinta-feira (14). Com isso, o BCE manteve a taxa de referência em zero, a de depósito em -0,40% e a de empréstimo em +0,25% ao ano. 

Segundo indicação do BCE, a meta de inflação de 2% ao ano possivelmente não será atingida antes de 2020. Dessa forma, há sinalização de que a economia da região não está fortalecida o bastante para prosseguir sem incentivos monetários.

ÁSIA
De janeiro a novembro, a China apresentou alta de 12% na importação de petróleo, chegando a 9 milhões de barris diários. Com esse números, o país pode conquistar o posto de maior importador da commodity no mundo, ultrapassando os Estados Unidos.

(Redação - Investimentos e Notícias)