Agenda e dados corporativos influenciam pregão

  •  
Agenda e dados corporativos influenciam pregão (Foto: Divulgação) Agenda e dados corporativos influenciam pregão

As principais bolsas de valores globais apresentam perdas nesta quarta-feira, 04, influenciadas por números da agenda global e dados corporativos. Aqui no Brasil, o Ibovespa apresenta perdas após Graça Foster renunciar seu cargo na Petrobras.

Na Ásia, a maioria das bolsas encerrou em alta o pregão desta quarta-feira. Exceção à bolsa de Shanghai, que caiu, pressionada pela desaceleração da atividade chinesa.

Enquanto isso, na Europa, o sinal negativo prevalece no mercado acionário, diante das preocupações com a dívida grega. Em Frankfurt, o DAX recua 0,46%, a 10.841 pontos. Em Londres, o FTSE 100 cai 0,81%, a 6.816 pontos, enquanto o CAC 40 apresenta perdas 0,41%, a 4.658 pontos.

Hoje, o ministro grego das Finanças, Yanis Varoufakis, afirmou que está otimista em relação à dívida grega depois de uma reunião em Frankfurt com o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, a quem pediu apoio para os bancos da Grécia. "Tivemos discussões muito frutíferas", declarou o ministro ao deixar o encontro.

Entre os dados da região, o índice gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da Eurozona, com base em pesquisas junto a milhares de empresas na região e considerado como indicador de crescimento, passou de 51,4 pontos para 52,6 em janeiro, segundo dados econômicos divulgados pelo instituto Markit Economics.

Em Wall Street, bolsas também apresentam perdas. Com isso, o índice Dow Jones perde 0,21% aos 17.535 pontos; o S&P 500 recua 0,40% a 2.033 pontos; e a bolsa eletrônica Nasdaq apresenta perdas de 0,43% aos 4.198 pontos.

Aqui no Brasil, o Ibovespa apresenta perdas após Graça Foster renunciar seu cargo na Petrobras. Há pouco, o índice, recuava 0,67%, aos 48.636 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 2.168 bilhões.

Do lado corporativo, a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, e cinco diretores da empresa renunciaram ao cargo hoje. O Conselho de Administração da companhia se reúne da próxima sexta-feira para a escolha dos novos executivos que ficarão no comando da companhia.

Já o Banco ABC Brasil divulgou seus resultados referentes ao quarto trimestre e ao ano de 2014. Com isso, o lucro Líquido recorrente do banco atingiu R$ 316,8 milhões em 2014, apresentando crescimento de 22,6% em relação a 2013 (R$ 258,3 milhões). No 4T14 o lucro foi de R$ 82,2 milhões, apresentando redução de 2,2% em relação ao 3T14 (R$ 84,1 milhões) e crescimento de 17,8% em relação ao 4T13 (R$ 69,8 milhões).

E abrindo a agenda de indicadores internos, o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações, em janeiro de 2015, foram realizados 113 pedidos de falência em todo o país, representando uma queda de 11,7% em relação aos 128 requerimentos efetuados em dezembro/14. Na comparação com janeiro de 2013, o número de pedidos de falência também caiu 8,9%.

Na renda fixa, os juros futuros operam em queda. Instantes atrás o contrato de DI, com vencimento em janeiro de 2017, o mais negociado, apresentava taxa anual de 12,52%.

Para finalizar, o dólar opera com ganhos de 1,56%. Há pouco, a moeda era vendida a R$ 2,735.

(MR – Agência IN)