Mercado de capitais representa 34% de investimentos no Brasil

Segundo a ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), os recursos levantados pelas empresas no mercado de capitais já representam 34% dos investimentos no Brasil neste ano, de acordo com o relatório do PIB divulgado hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Entre janeiro e setembro de 2019, foram emitidos R$ 282,0 bilhões via instrumentos do mercado de capitais, enquanto o investimento total no país chegou a R$ 833,8 bilhões.

Na comparação ao mesmo período de 2018, a participação das operações domésticas entre os recursos para investimentos avançou nove pontos base, e sobre 2017, quando houve o início do processo de redução dos subsídios do BNDES às companhias privadas, o crescimento foi de 15 pontos base. Considerando a série histórica da ANBIMA, iniciada em 2002, o resultado de 2019 só perde para 2010, quando foi registrada participação de 34,9% (naquele ano, o PIB avançou 7,5%).

Reforma da Previdência é um grande passo para o Brasil, diz Abit

A Reformar da Previdência aprovada na noite desta terça-feira (22), após oito meses de tramitação, fez com que o Brasil se direcione para novos rumos. Para o presidente da Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção), Fernando Pimentel, a medida foi um grande passo dentro das reformas estruturais que o Brasil necessita, destacando também a expectativa com os outros ajustes aguardados para a economia no âmbito regulatório, tributário, ambiental e trabalhista.

Brasil o 3º país mais complexo para se investir e abrir empresas

Tom Jobim é creditado como o primeiro a dizer, mas o Global Business Complexity Index recém-publicado pela TMF prova, mais uma vez, que a famosa frase do compositor brasileiro ainda se aplica perfeitamente hoje: o Brasil não é para iniciantes. Embora isso não surpreenda a quem registrou impostos corporativos nos últimos meses, o Global Business Complexity Index contradiz o relatório mais recente do Banco Mundial (Doing Business), que na verdade, viu o Brasil melhorar em 10 posições. Então, os negócios no Brasil estão ficando menos complicados ou não? Uma questão complexa e particularmente interessante.

Banco Mundial reduz previsão de crescimento da economia brasileira

O Banco Mundial reduziu a previsão de crescimento da economia brasileira. De acordo com o Relatório de Perspectivas Econômicas Global, divulgado nessa terça-feira (4), a previsão para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, neste ano, foi reduzida em 0,7 ponto percentual para 1,5%.

Linx pede registro para oferta de ações no Brasil e exterior

A Linx S.A. (B3: LINX3) anunciou que no dia 3 de maio apresentou perante a CVM, sob tratamento reservado, pedido de registro da oferta pública de distribuição primária e secundária de ações ordinárias, nominativas, escriturais e sem valor nominal, de emissão da Companhia, todas livres e desembaraçadas de quaisquer ônus ou gravames, incluindo sob a forma de American Depositary Shares ("ADSs"), representados por American Depositary Receipts ("ADRs"), todos livres e desembaraçados de quaisquer ônus ou gravames, a serem distribuídas simultaneamente (i) no Brasil, em mercado de balcão não organizado, com esforços de colocação das Ações no exterior (“Oferta Brasileira”); e (ii) no exterior, sob a forma de ADSs, representados por ADRs, todos livres e desembaraçados de quaisquer ônus ou gravames, cada ADS representativo de 1 (uma) Ação. A Oferta Global será realizada simultaneamente no Brasil e no exterior.

Estados Unidos formalizam o ingresso do Brasil na OCDE

Os Estados Unidos decidiram nesta quinta-feira (23) apoiar formalmente a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O anúncio oficial do apoio foi dado durante a reunião do órgão, em Paris. O presidente Jair Bolsonaro postou no Twitter mensagem em que afirma que o suporte norte-americano é 'fruto da confiança no novo Brasil'.

Assinar este feed RSS