10 dicas para não cair em ciladas nos leilões de imóveis

10 dicas para não cair em ciladas nos leilões de imóveis Foto: Divulgação 10 dicas para não cair em ciladas nos leilões de imóveis

O que chama a atenção nos leilões são os preços menores, mas você sabe quais cuidados deve tomar para não entrar em uma roubada?

Todos os passos necessários para ter sucesso em um leilão são realizados antes da batida do martelo. Para iniciar sua empreitada em busca do imóvel perfeito, você terá que fazer uma pesquisa minuciosa em todo o histórico para identificar e antecipar possíveis contratempos. Veja, abaixo, as dicas que separamos:

1. Decida qual quantia está disposto a desembolsar para alcançar seu objetivo. Isso significa não só o preço de compra do imóvel, mas também muitos outros gastos necessários, que envolvem desde contratação de advogados até reformas e contas do antigo proprietário que passarão para o seu nome. Esse passo te dará mais segurança sobre qual lance oferecer.

2. Depois de definir quanto poderá gastar, comece a pesquisar lugares que estão sendo vendidos e compare com o valor dos espaços leiloados para avaliar se realmente vale a pena. Existem sites especializados em leilões que facilitam sua pesquisa fornecendo todas as informações sem precisar sair de casa.

3. Encontrou o imóvel que quer investir? Então, leia atentamente o edital que contém todas as informações importantes, como condições de venda, estado de ocupação, modelo de contrato, formas de pagamento e comissão do leiloeiro.

4. Existem dois tipos de leilões: judiciais e extrajudiciais. O primeiro acontece por decisão do juiz para quitar a dívida do proprietário. Já o leilão extrajudicial, geralmente, é realizado por instituições financeiras para retomar propriedades com parcelas de financiamento atrasadas.

5. Frequentemente, os bens leiloados são frutos de ações de execução ou retomados por falta de pagamento; logo, o comprador não está necessariamente de acordo com a medida, e isso poderá se tornar uma fonte de estresse. Você terá que realizar o despejo ou negociar com ele para que saia. Evite esse contratempo optando por imóveis desocupados.

6. Faça um levantamento de todas as dívidas do imóvel, como IPTU, luz, água e condomínio. Essas dívidas são transferidas para o comprador.

7. Você terá que pagar uma taxa em torno de 3% do valor do imóvel para o registro do ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis), portanto, avalie as condições de pagamento e decida qual estará ao seu alcance. Lembrando que alguns editais permitem apenas compras à vista, enquanto outros financiam.

8. Registre a propriedade em Cartório após o arremate.

9. Se houverem ações judiciais, o antigo proprietário poderá recorrer à obtenção de liminares, o que afetará o tempo de entrega do imóvel. Portanto, pense bem se vale a pena aguardar ou procurar outra oportunidade de leilão.

10. Invista seu tempo e dinheiro se souber e tiver segurança de quanto deseja pagar por um imóvel. Especialistas recomendam a busca por um advogado para esclarecer dúvidas e avaliar se é realmente um bom negócio.

(Redação - Agência IN)

Última modificação emSexta, 06 Janeiro 2017 20:23