Economia da Flórida chega a US$ 1 tri e atrai investidores brasileiros

Dados divulgados pela Câmara de Comércio da Flórida registram o expressivo crescimento econômico do estado americano. A soma alcançada supera U$ 1 trilhão de dólares e o crescimento do PIB foi estimado em US$ 2,74 bilhões por dia. Além do potencial turístico que o estado implementa ao longo dos últimos anos, as vantagens para abertura de novos empreendimentos e acolhimento de investimentos são razões que podem justificar este resutado positivo.

 

Indústria de fundos tem resgates líquidos de R$ 9,8 bi

A indústria brasileira de fundos de investimento registrou resgates líquidos de R$ 9,8 bilhões entre os dias 1º e 6 de julho, de acordo com as estatísticas da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). No acumulado do ano, até 6 de julho, a indústria apresenta captação líquida positiva de R$ 28,7 bilhões.

(Redação - Investimentos e Notícias)

Debêntures de infraestrutura atingem volume recorde em 2018

As debêntures de infraestrutura (regidas pela Lei 12.431) bateram recorde de emissões desde a criação, em 2011, somando R$ 9,6 bilhões no primeiro semestre deste ano. De acordo com boletim da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o total alcançado a partir de 16 operações foi quase quatro vezes maior do que o registrado entre janeiro e junho de 2017 (quando também foram realizadas 16 operações, porém com volumes menores).

Indicador Ipea de Investimentos cai 11,3% em maio

Divulgado nesta quinta-feira, 5, o Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) aponta retração de 11,3% em maio de 2018, na comparação com abril. A greve dos caminhoneiros explica, em grande parte, esse desempenho dos investimentos, que no trimestre finalizado em maio recuaram 1,2% frente ao trimestre anterior. A queda ocorreu também na comparação com maio de 2017 (4,5%), embora no acumulado em 12 meses tenha havido alta de 1,3%.

Rentabilidade dos títulos públicos cai no semestre

O IMA-B5+, índice da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) que acompanha as variações das carteiras de títulos públicos (NTN-Bs) com vencimentos acima de cinco anos, fechou o primeiro semestre com retorno negativo de 0,71%. Até abril, o IMA-B5+ apresentava a melhor performance no ano entre os demais indicadores do IMA (Índice de Mercado ANBIMA). A piora das expectativas do cenário político e econômico a partir do fim de maio impactou os resultados e reverteu essa trajetória do índice.

Volume de debêntures emitido até maio dobra

As operações de renda fixa no mercado de capitais já batem recorde neste ano: os R$ 60,5 bilhões emitidos até maio por instrumentos dessa categoria representam o maior volume da série histórica da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) para o período. As debêntures puxam o resultado, com R$ 45,6 bilhões emitidos nos primeiros cinco meses de 2018, o dobro do total levantado no mesmo período do ano passado (R$ 21,8 bilhões).

Tesouro Direto registra décimo mês seguido de saques

A instabilidade no mercado financeiro nas últimas semanas fez os pequenos investidores continuarem a se desfazer dos papéis do governo. Em maio, as retiradas do Tesouro Direto, programa de venda de títulos públicos a pessoas físicas pela internet, superaram os ingressos em R$ 107,4 milhões.

Investimentos iniciam 2º trimestre com aumento de 2,5%

Os investimentos iniciaram o segundo trimestre deste ano com crescimento de 1,5%. É o que aponta o Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), divulgado hoje (7) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Esse crescimento do indicador do Ipea foi registrado em abril na comparação com março, na série com ajuste sazonal.

Assinar este feed RSS