Preços de materiais de construção têm queda em março

Depois de uma alta de 0,98% em fevereiro, os preços de materiais de construção no Estado de São Paulo apresentaram queda de 0,37% em março. Na comparação interanual, o percentual de março deste ano é inferior ao registrado em 2016, período no qual os preços tiveram elevação de 0,61%, e representa o recuo de preços mais acentuado de toda a pesquisa, iniciada em 2008, conforme dados do INCC/SINAPI, calculado pelo Instituto Brasileiros de Geografia e Estatística (IBGE).

Emprego na construção tem nova queda em fevereiro

O setor da construção perdeu 14.070 vagas em todo o Brasil em fevereiro, queda de 0,56% em relação a janeiro. Esta é a 29ª queda consecutiva, deixando o estoque de trabalhadores no setor em 2,48 milhões. Na comparação com fevereiro de 2016, houve queda de 13,95%. Em outubro de 2014, primeiro mês de variação negativa, o estoque era de 3,57 milhões – queda de 1,08 milhão de postos de trabalho. Desconsiderando efeitos sazonais, a queda é de 1,12% em fevereiro (-28.486).

CUB paulista registra alta de 0,06% em março

O Custo Unitário Básico (CUB) da construção civil do estado de São Paulo registrou alta de 0,06% em março na comparação com fevereiro. De acordo com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), o CUB representativo da construção paulista (R8-N) ficou em R$ 1.297,15 por metro quadrado no período. Em 12 meses a alta é de 5,21%. 

Varejo de materiais de construção cria 327 empregos

Pelo segundo mês consecutivo, o varejo de materiais de construção da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) apresentou um balanço positivo na oferta de empregos. Em fevereiro, 327 vagas foram criadas, resultado proveniente de 2.497 admissões e 2.170 demissões. O primeiro mês do ano já havia contado com desempenho favorável: 286 postos de trabalho criados. Dessa forma, 2017 passou a apresentar um acumulado de 613 vagas. Entretanto, o saldo dos últimos doze meses continua negativo, com 3.826 empregos cortados.

Varejo de materiais de construção criou 286 empregos

Depois de recuos sucessivos no mercado de trabalho setorial, o varejo de materiais de construção da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) apresentou um saldo positivo de 286 vagas em janeiro, resultado proveniente de 2.422 admissões e 2.136 desligamentos. Desempenho muito mais favorável na comparação com o mês anterior, no qual 1.021 vagas foram perdidas. No saldo acumulado em doze meses, ocorreu a eliminação de 4.353 vagas no setor varejista de materiais de construção. 

Assinar este feed RSS