O modelo de negócio da Tip Top

O modelo de negócio da Tip Top (Foto: Divulgação) O modelo de negócio da Tip Top

Após conquistar a excelência na fabricação dos produtos, a Tip Top iniciou em 2005 um estudo para implantação de uma rede nacional de lojas franqueadas e em 2008 entrou no mercado de franquias.

 

Por Michele Rios
Entrevistado: Ricardo Marcondes, gerente de expansão da Tip Top.

ricardomarcondes

IN: De onde surgiu a ideia de investir no negócio de moda infantil? Conte um pouco da história da rede.
Ricardo Marcondes: Fundada em 1952, em São Paulo, a Tip Top, referência nacional em vestuário infantil, com foco em roupa para bebês, está no mercado há mais de 63 anos. Após conquistar a excelência na fabricação dos produtos, atingir grande escala de produção e conquistar amplo reconhecimento e liderança no mercado infantil, a Tip Top iniciou em 2005 o estudo para implantação de uma rede nacional de lojas franqueadas.

A entrada no mercado de franquias ocorreu em 2008, com o objetivo de instalar uma rede de lojas tradicionais com pelo menos 150 lojas pelo país. O projeto de Mega Store começou a ser desenhado em 2013, com a primeira unidade, com 600m² de área de venda e mais de 3 mil itens à disposição da clientela, inaugurada no bairro do Morumbi, em São Paulo. O projeto exigiu um investimento de R$ 3 milhões. Em 2014, foi adaptado para operar também em shopping centers, com áreas de venda entre 200m² e 300 m². A ideia é instalar ao menos 40 unidades em todo o Brasil.

A Tip Top conta com dois parques industriais localizados no estado de Mato Grosso do Sul, em Campo Grande e Sindrolândia. Das indústrias saem todas as peças, entre confecção e moda praia, nos mais diferentes estilos, desenvolvidas de acordo com cada estação e relacionadas com aspectos exclusivos e temáticos, incluindo produtos licenciados.

IN: A partir de que momento decidiram adotar o sistema de franquia?
RM: Após conquistar a excelência na produção dos produtos, atingir grande escala de produção e conquistar amplo reconhecimento e liderança no mercado infantil, a Tip Top iniciou em 2005 o estudo para implantação de uma rede nacional de lojas franqueadas. O projeto foi todo estruturado com base em estudos realizados no mercado brasileiro, que apontaram uma grande carência de redes nacionais atuando no segmento infantil.

A partir desta verificação foi realizado um estudo de franqueabilidade do negócio Tip Top, que detectou a maturidade da empresa para implantação deste novo negócio e canal de distribuição. E em 2008 a Tip Top inaugurou na cidade de São Paulo sua primeira loja, no Shopping Bourbon Pompéia.
Com um conceito arquitetônico inovador, a loja foi lançada em um momento em que a Tip Top apresentou também ao mercado um novo manual de identidade visual com novos tags e embalagens mais modernas e em cores vibrantes, sem com isso, perder a essência da marca.

IN: Quanto foi investido na abertura da primeira franquia?
RM: A primeira unidade da rede aberta foi uma loja própria no Shopping Bourbon em São Paulo. O investimento girou em torno de R$ 600 mil.

IN: A Tip Top é uma empresa bem consolidada no mercado brasileiro e certamente ela passou por algumas transformações, que foram impactantes. Quais foram os grandes desafios?
RM: O maior desafio da empresa foi o de repensar o seu negócio. Ou seja, sair de uma cultura industrial para uma cultura varejista. Sair de uma companhia produtora e distribuidora de produtos para uma empresa com maior poder de gestão sobre a sua marca, sobre a sua cadeia de distribuição (franquias) e com isso também adaptar melhor também seus produtos as necessidades dos consumidores uma vez que a proximidade com os mesmos aumentos através da criação das franquias.

IN: Qual o público da empresa?
RM: Trabalhamos com a classe B principalmente. Mas atendemos a um amplo leque de consumidores que são atraídos pela seriedade da marca e qualidade de seus produtos.

IN: Quantas franquias a rede possui atualmente?
RM: A Tip Top tem 108 lojas espalhadas pelo Brasil sendo, entre elas, nove mega stores, verdadeiras lojas de departamento infantil com áreas de 200 m² a 300m².

fachadatiptop

IN: Quanto a rede pretende faturar em 2015?
RM: Pretendemos fechar o ano de 2015 com um faturamento na rede de R$ 116 milhões.

IN: A crise que afeta o Brasil, também afetou os negócios da empresa? Por quê? 
RM: Sim, não tem como dizer que não afeta. Tivemos um ano com consumidores mais contidos nas compras e com isso tivemos que fazer ações de ponto de venda para atrair esse consumidor para nosso negócio e com isso diminuir os impactos da crise.

IN: Você acredita que 2016 será um ano melhor para a economia brasileira? Por quê?
RM: Tenho esperança que sim, mas a verdade é que é difícil ainda prevermos como será. Estamos trabalhando com um crescimento moderado para o ano que vem.

IN: Quanto o interessado deve desembolsar para ter uma franquia da rede?
RM: O investimento inicial para quem deseja se tornar um franqueado da rede Tip Top é a partir de R$ 450 mil para uma loja tradicional e R$ 1,5 milhão para a Mega Store. A projeção de retorno do investimento é de até 40 meses e o faturamento gira em torno de R$ 80 mil (loja tradicional) a R$ 250 mil (Mega Store).

IN: Qual o perfil do franqueado?
RM: Precisamos de pessoas que se dediquem ao negócio, que acompanhe a equipe de vendas, analisem estoque, entendam o mercado onde estejam inseridos. Enfim, muitos candidatos a franquia ainda acham que simplesmente pelo fato de aderirem a franquia, que o negócio “anda” sozinho... e de fato, a marca, o sistema, os produtos e tudo mais que uma franquia proporciona são muito importantes, mas boa parte do sucesso do negócio vem da dedicação que o franqueado vai ter no seu negócio.

IN: Quais são as regiões de maior interesse para a rede continuar expandindo?
RM: Rio de Janeiro, Minas Gerais e Santa Catarina como principais, mas temos alguma oportunidade também em várias outras regiões do país.

IN: O mercado de roupa infantil apresenta números positivos? Por quê?
RM: O mercado de roupa infantil está em amplo crescimento e também em muita especialização cada vez maior. Este mercado tem sido visto por diversas marcas com um foco de negócio, mas por ser um segmento de mercado muito específico, que precisa de conhecimento e preparo de como atuar. É necessário que as marcas o conheçam e trabalhem de forma profissional para atender as necessidades dos consumidores de forma adequada.

Tende a crescer, mas neste momento ocorrerá também um ajuste no mesmo, onde marcas que resolveram entrar neste mercado recentemente ou vão se profissionalizar ou vão acabar tendo que voltar atrás em seus planos.

IN: Vocês costumam investir em campanha de marketing? Quanto?
RM: Sim. O investimento em marketing é constante. Seja em ponto de venda, revistas, mídias sociais e etc. Fazemos um programa de relacionamento com consumidores também. Quanto ao investimento, preferimos não falar em números.

IN: A rede tem novidades para 2016? Quais?
RM: Pretendemos abrir 12 lojas, sendo três Megas Stores, e projetamos um crescimento 7% em nosso faturamento. Além disso, continuaremos investindo em treinamento. Também pretendemos lançar um programa de fidelidade, que dará muitos benefícios para nossos clientes.)