Experiência familiar inspira executivo a criar rede de franquias de bijuterias finas

Experiência familiar inspira executivo a criar rede de franquias de bijuterias finas (Foto: Divulgação) Experiência familiar inspira executivo a criar rede de franquias de bijuterias finas

A experiência familiar com o varejo de bijuterias e acessórios inspirou o executivo a criar a Morana, a primeira rede de franquias de bijuterias finas, que comemorou 12 anos de sucesso em 2014.

Por Michele Rios
Entrevistado: Eduardo Morita, diretor de Desenvolvimento e Negócios do  Grupo Ornatus

eduardomorita

IN: De onde surgiu a ideia de investir no negócio de acessórios? Conte um pouco da história da rede.
Eduardo Morita : Nascido em Seul, em 1964, Jae Ho Lee, CEO do Grupo Ornatus, chegou ao Brasil com oito anos de idade acompanhado dos pais e de dois irmãos mais velhos. O ano era 1972, período em que a Coréia do Sul enfrentava constantes conflitos políticos. Sem saber falar português, sua família se estabeleceu em São Paulo e, sete anos depois, já possuía duas unidades da Poppy Art & Bijoux, lojas de bijuterias. Quase três décadas mais tarde, a família chegou a ter dez lojas, porém foram fechadas tempo depois.
Em 1987, Jae Ho Lee teve contato com o sistema de franchising durante seu trabalho acadêmico no curso de Administração de Empresas da Universidade de São Paulo. Em 1992, decidiu transportar seu projeto para a vida real e fundou a rede Jin Jin Chinese Fast Food, que desde 2007 se reposicionou e mudou de nome para Jin Jin Wok Gastronomia Asiática.
Dez anos mais tarde, em 2002, a experiência familiar com o varejo de bijuterias e acessórios inspirou o executivo a criar a Morana, a primeira rede de franquias de bijuterias finas, que comemorou 12 anos de sucesso em 2014.

IN: A partir de que momento decidiram adotar o sistema de franquia?
EM: A formatação e o lançamento da Morana Acessórios foi concluída em 2002 com o objetivo de, por meio de franquias, criar uma grande rede de acessórios femininos no país.

IN: Quanto foi investido na abertura da primeira franquia?
EM: Cerca de R$ 120 mil.

IN: Qual o público da empresa?
EM: O público das franquias são investidores/empreendedores interessados em ter o próprio negócio e fazer parte de uma rede já consolidada no Brasil. O público da marca Morana são consumidoras seletivas e exigentes, que estão antenadas com a moda, mas que não abrem mão da beleza clássica e do acabamento impecável.

IN: Quantas franquias a rede possui atualmente?
EM: São cerca de 260 lojas só da marca Morana.

IN: Como foi o processo de levar o negócio para fora do Brasil? O público aceitou bem?
EM: Podemos dividir em 3 etapas: exportação de produtos somente em 2004, antes da crise global de 2008 e agora a partir de 2013. Na 1ª fase, enviamos produtos apenas através de um distribuidor para a rede El Corte Ingles, sem levar o nome da marca, e a aceitação foi muito boa, onde praticamente o estoque foi esgotado em 3 meses – porém não tínhamos uma boa margem de ganho; depois uma 2ª fase onde implantamos lojas em 2007 em 5 localidades (NY, Los Angeles, Porto-2lojas e Bogotá), e a aceitação foi boa e quando tínhamos a visão de uma curva  de ascensão, tivemos a crise do subprime americano, que afetou todo varejo internacional, onde nossas vendas despencaram, nos obrigando a rever os planos inclusive fechando lojas; agora na 3ª fase, onde temos as lojas de Portugal ativas  e montamos uma nova loja na Califórnia, nos EUA, podemos dizer que estamos observando uma performance mais consistente de aceitação dos produtos, mas que seguramente exigirá esforços para emplacar o produto num momento e mercado altamente competitivo.

IN: Quanto a rede pretende faturar em 2014?
EM: Nossa meta para 2015 é de crescer em cerca de 15% (incluso novas lojas). Assim a estimativa é de ultrapassar os 250k no ano.

IN: Quanto o interessado deve desembolsar para ter uma franquia da rede?
EM: Loja convencional: a partir de R$ 350 mil / quiosque: a partir de R$ 80 mil / Morana Light (projeto econômico): cerca de R$ 200 mil.

morana

IN: Qual o perfil do franqueado?
EM: Recomenda-se que o franqueado ideal já tenha vivenciado uma experiência de liderar equipes de trabalho, precisa ter o 2º grau completo ou curso técnico concluído, ter disposição para trabalhar durante os fins de semana, facilidade em lidar com o público, habilidade em delegar tarefas e motivar a equipe e espírito empreendedor.

IN: O mercado de acessórios apresenta números positivos? Por quê?
EM: Os acessórios deixaram de ser coadjuvantes no figurino das pessoas, e assumiram um papel de protagonismos de maneira definitiva. Hoje em dia a consumidora consegue variar sua produção diária através da combinação de um guarda roupa eclético que tem nos acessórios um componente fundamental. Isso foi impulsionado com o advento da cultura fast-fashion onde a moda é mutante em curtos espaços de tempo. Assim a tendência é de crescimento acentuado nos próximos anos.

IN: Vocês costumam investir em campanha de marketing? Quanto?
EM: Sim. As campanhas de marketing da Morana sempre unem a marca à imagem de modelos e artistas consagradas, como Maria Fernanda Candido, Carol Castro, Carolina Dieckmann, Débora Nascimento, Carolina Ferraz, Flavia Alessandra, Claudia Raia, Aline Moraes, entre outras. A cada coleção fazemos uma campanha diferente.

IN: A rede tem novidades para 2015? Quais?
EM: Sim. O foco do Grupo Ornatus em 2015 é a internacionalização da rede Morana. Pretendemos inaugurar novas operações da marca no exterior. )