Indústria paulista apresenta saldo positivo na geração de empregos

Outubro é o segundo mês consecutivo a apresentar saldo positivo na geração de empregos na indústria paulista, com a criação de 2,5 mil vagas - alta de 0,11% frente a setembro, na série sem ajuste sazonal. Esse resultado para o mês não era visto desde 2010, quando a variação para o período subiu 0,02% e somou 500 postos de trabalho. No acumulado do ano, o saldo segue positivo e soma 9 mil empregos gerados (0,42%). Já os dados com ajustes para o mês ficaram estáveis (-0,02%). Os dados são da pesquisa de Nível de Emprego do Estado de São Paulo divulgados nesta sexta-feira (10/11) pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo e do Ciesp (Depecon).

Emprego na construção brasileira sobe 0,07% em agosto

O nível de emprego na construção civil brasileira e subiu 0,07% em agosto em relação a julho. Com a contratação de 1.653 trabalhadores, o estoque de trabalhadores foi de 2,458 milhões para 2,460 milhões. As duas altas seguidas ajudaram a diminuir o resultado negativo dos últimos 12 meses (-9,46%). Na comparação com agosto de 2016, a redução chega a 12,25%. 

Setor de serviços paulista abre quase 2 mil novas vagas de emprego

Em agosto, o saldo do mercado de trabalho no setor de serviços do Estado de São Paulo permaneceu positivo, com a criação de 11.961 empregos formais, resultado de 190.391 admissões contra 178.430 desligamentos. Dos resultados apurados nos meses de agosto, observa-se que o dado de 2017 é o melhor desde 2014 e supera o saldo líquido do mesmo mês de 2016 em mais de 10 mil vagas. Por outro lado, entre os meses de janeiro a agosto de 2017, foram criados 61.116 novas vagas, o que demonstra recuperação do setor em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram perdidos 40.310 empregos. Nos últimos 12 meses, porém, foram eliminados 29.085 postos de trabalho - terceira vez consecutiva que se registrou saldo negativo para o mesmo período -, no entanto, em ritmo inferior ao observado em 2016, quando mais de 158 mil postos de trabalho foram fechados. Com isso, o estoque ativo atingiu 7.355.232 trabalhadores em agosto, queda de 0,4% na comparação com 2016.

País abre 34.392 novas vagas em setembro, 6º aumento consecutivo do ano

O Brasil fechou o mês de setembro com nova alta no saldo de empregos formais – a sexta consecutiva e a sétima no ano. O crescimento foi de 34.392 postos de trabalho, aumento de 0,1% em relação ao estoque do mês anterior, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quinta-feira (19) pelo Ministério do Trabalho (MTb). “Os números de setembro confirmam, mais uma vez, o processo de recuperação gradual do mercado de trabalho, como reflexo da retomada do crescimento da economia do País”, avaliou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

Mercado de trabalho melhora em setembro

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp), da Fundação Getulio Vargas, avançou 2,4 pontos em setembro, alcançando 100,6 pontos, o maior nível da série, iniciada em junho de 2008. Parte do bom resultado pode ser atribuído à base muito fraca de comparação após dois anos em que o país registrou números negativos de emprego. No ano, o indicador acumula ganho de 10,6 pontos.

Setor privado dos EUA cria menos empregos em setembro

O setor privado dos Estados Unidos gerou 135 mil postos de trabalho em setembro deste ano, ante o mês anterior, segundo dados divulgados hoje na pesquisa ADP Employment. O resultado veio acima do que o previsto por analistas, que estimavam a abertura de 125 mil empregos no mês.

Atacado paulista cria 2.770 empregos em julho

Pelo quarto mês consecutivo o comércio atacadista no Estado de São Paulo efetuou mais admissões do que desligamentos de funcionários. Em julho, o setor gerou 2.770 empregos com carteira assinada, resultado de 14.774 admissões e 12.004 desligamentos, o melhor desempenho para o mês desde 2011. Assim, o atacado paulista encerrou o mês com 494.738 trabalhadores formais, um aumento de 0,4% em relação ao registrado em julho de 2016. No acumulado dos primeiros sete meses de 2017, foram abertas 2.796 vagas com carteira assinada, revertendo o cenário observado no mesmo período de 2015 e 2016 quando 7.473 e 6.424 empregos foram eliminados, respectivamente.

Assinar este feed RSS