Pesquisas apontam que o desemprego atinge 27% dos jovens no Brasil

  •  
Especialista da FGV, Viviane Narducci, destaca que o jovem precisa buscar alternativas para se atualizar e conquistar espaço no mercado de trabalho Foto: Divulgação Especialista da FGV, Viviane Narducci, destaca que o jovem precisa buscar alternativas para se atualizar e conquistar espaço no mercado de trabalho

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) aponta que mais de 27% dos jovens entre 14 e 24 anos estão desempregados. Com a crise econômica, as empresas cortaram investimentos e reduziram o quadro de funcionários.

 

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o mundo enfrenta uma crise de emprego juvenil, onde 73 milhões de jovens estão em busca de uma oportunidade. As empresas querem experiência, mas como você a terá se ninguém lhe oferece uma primeira chance? Este é um problema vivido por várias gerações. Hoje, principalmente com a crise atual, o problema persiste. Todos querem contratar quem já saiba fazer.

“O empregador precisa buscar o equilíbrio em uma organização e conciliar experiência com ousadia, que só conseguirá através da contratação de profissionais que já estão no mercado de trabalho e os mais jovens. Normalmente não acontece, não existe esse equilíbrio. O empregador precisa entender que esta oxigenação é necessária”, explica PHD e Mestre em Administração de Empresas pela Escola de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (EBAPE –FGV), Viviane Narducci.

Para os jovens que buscam colocação no mercado de trabalho, é preciso manter-se em estado de aprendizado contínuo no que tange às questões técnicas e, também, manter-se atualizado quanto às questões econômicas e sociais que permeiam o mundo. Hoje existem diversos programas online sem custo.

“Para o jovem que cursa o ensino superior, a dica é participar das empresas júniors, para adquirir alguma experiência dentro da Universidade e buscar um diferencial naquilo que sabem fazer. Talvez no início, não consiga um emprego na área desejada, mas se ele participa do cotidiano de uma organização, consegue enxergar como funciona e até mesmo possibilidades de migração interna para área desejada”, afirma a especialista.

O empreendedorismo entre os jovens também chama a atenção. Dos 22 milhões de empreendedores no Brasil, mais da metade têm menos de 35 anos. Para Viviane Narducci, hoje existe um grande índice de jovens buscando o seu próprio caminho, em razão também da falta de empregabilidade.

“É importante ficar atento, pois ninguém consegue empreender sem conhecer com certa profundidade o que quer fazer. Muitos desses jovens, ficam desempregados e com o pouco conhecimento que têm, conseguem montar um negócio e não buscam conhecimento para sustentar esse projeto. É preciso manter-se atualizado e para buscar novas oportunidades, o que exige muito cuidado”, conclui.

Viviane Narducci é PHD e Mestre em Administração de Empresas pela Escola de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (EBAPE –FGV).

(Redação - Agência IN)