Em ano desafiador, currículo qualificado é diferencial no setor de TI

  •  
De acordo com pesquisa da Robert Ralf, profissionais que mesclem habilidades técnicas e estratégicas com foco em resultados financeiros serão mais requisitados Foto: Divulgação De acordo com pesquisa da Robert Ralf, profissionais que mesclem habilidades técnicas e estratégicas com foco em resultados financeiros serão mais requisitados

O ano de 2016 chegou e com ele as incertezas e lembranças de uma economia que se manteve instável em 2015. Com essas mudanças, profissionais de todas as áreas precisam se desdobrar para driblar os desafios, com o intuito de se manterem ou serem inseridos no mercado de trabalho. Mesmo assim, de acordo com a edição 2016 do Guia Salarial Robert Ralf, para quem trabalha no Setor de TI, a situação é mais animadora. O investimento continua, mas o mercado está mais seletivo. E para justificar os altos salários pagos aos profissionais dessa área, que podem chegar a R$25 mil reais, as exigências tornam-se cada vez maiores.

Profissionais que tenham facilidade de circulação entre as áreas e que compreendam os problemas da empresa terão mais oportunidades no mercado de trabalho. É o que aponta o levantamento feito pelo Guia. “É importante que eles sejam mais dinâmicos, antenados às tendências e às necessidades dos clientes e do mercado. Foi-se o tempo em que saber a linguagem da programação era o suficiente. Hoje, o profissional de TI tem que se articular entre as pessoas e as tecnologias para se manter no mercado”, explica a mestra em Ciência da Computação e professora do MBA Governança nas Tecnologias da Informação do Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG), Adriana Silveira.

Mesclar habilidades técnicas e estratégicas com foco em soluções capazes de gerar resultados positivos no setor financeiro das empresas é outro ponto que as empresas estarão avaliando no momento da contratação, de acordo com a pesquisa. Nesse sentido, o Guia aconselha os profissionais se qualificarem para a vaga a pretendida.

Para Adriana Silveira, a busca pelo conhecimento é um dos grandes diferenciais para quem deseja se destacar no mercado de trabalho. “A especialização atua no gap que existe entre a técnica e o negócio na formação do profissional de TI. Desta forma, os profissionais têm de correr atrás de competências que lhe propiciem conhecimento adequado para lidar com as demandas corporativas e, assim, contribuir com a implementação da estratégia de negócio da companhia em que atua”, conclui.

Atualização profissional

Em busca de uma nova visão de mercado, o engenheiro da computação Nuno de Oliveira se matriculou no MBA Governanças nas Tecnologias da Informação do IPOG. Atuando na área há 14 anos, sentiu a necessidade de se atualizar.

“Eu sou surpreendido a cada módulo. O professor tem apenas um fim de semana para nos ensinar, mas como possuem ampla experiência, eles conseguem aplicar o conteúdo e nos atualizar sobre o mercado, através da vivência profissional”, compartilha o engenheiro.

(Redação - Agência IN)