Como construir networking quando se é muito introvertido

Como construir networking quando se é muito introvertido Foto: Divulgação

Existem infinitos ditados sobre como tudo é questão de ter os relacionamentos certos para alcançar o sucesso. Olha, realmente precisa dos contatos adequados, mas desenvolver relacionamentos é um jogo que você pode dominar e servirá para qualquer coisa que deseja fazer na vida. Mas daí muita gente questiona, “Mas Rafa, sou muito introvertido e tenho dificuldade de começar a montar um networking. O que eu faço?”.

Realmente vivemos em um mundo que está cada dia mais competitivo e no qual muitas vezes os introvertidos são engolidos por colegas com menos habilidade técnica, mas mais inteligência emocional. O carisma e a capacidade de engajar pessoas são até mais importantes que a sua formação técnica, então, se você é introvertido, precisa trabalhar a si mesmo.

Encontre soluções, formas de se relacionar, momentos do dia em que é mais fácil se aproximar das pessoas, e principalmente perca o medo de errar. Não tem problema se suas abordagens de início forem catastróficas, mas você precisa tentar. Busque terapia, coaching, pratique com membros da família, vá até para cursos de teatro, mas invista em você, em entender como pode superar a sua introversão e, simultaneamente, respeitar a si mesmo.

Para ajudar separei seis dicas que mostram como construir um networking quando se é muito introvertido, confira.

1. A única coisa que pode matar a sua capacidade de networking é a arrogância ou atitudes que fazem com que as pessoas se desconectem de você. Manter a humildade e o espírito de ajudar o próximo no final das contas ajuda a si mesmo.

2. Trabalhe suas habilidades interpessoais. É como trabalhar em uma tese, ou treinar para uma corrida: você precisa se dedicar a isso conscientemente, ler sobre o tema, praticar em momentos que não vale dinheiro ou promoção.

3. Faça as pazes com a sua necessidade de trabalhar sua habilidade de socialização admitindo, primeiro, que ela precisa ser trabalhada, e depois buscando especialistas, leituras e práticas que o ajudem. Fazer-se gostado é uma técnica que você aprende.

4. Se você for ignorado ou odiado, o mundo não acaba, é só sinal de falta de treino. E, em geral, se você tiver interesse genuíno pelas pessoas, vai conseguir aos poucos se soltar para conversar melhor com elas, para entende-las e marcar presença.

5. A nossa escuridão, os momentos difíceis, existem exatamente para conseguirmos enxergar as oportunidades. Instigue sua dificuldade ao máximo, trabalhe aquilo que dentro de você é mais difícil, porque dali saem grandes presentes.

6. Ao apresentar um negócio para um investidor ou um possível mentor o modo de falar e de se relacionar é mais interessante que a sua ideia em si. A motivação, a resiliência para insistir no negócio e integridade é muitas vezes um diferencial

(*) Rafa Prado é consultor e movimentou mais de R$ 20 milhões com a criação de produtos digitais, eventos e imersões no exterior com personalidades e alto empresariado. É autor do livro “100 Graus – O ponto de ebulição do sucesso”.

(Redação - Agência IN)

Última modificação emSegunda, 22 Maio 2017 22:37