Vera Fischer estreia comédia “Ela é o Cara!” no Teatro Folha

Espetáculo faz uma reflexão bem humorada sobre os males modernos da humanidade Foto: Divulgação Espetáculo faz uma reflexão bem humorada sobre os males modernos da humanidade

A atriz Vera Fischer abre a programação do Teatro Folha em 2017 com a comédia “Ela é o Cara!”, escrita especialmente para ela por Márcio Araújo e Andrea Batitucci. Com direção de Ary Coslov, o espetáculo fica em cartaz de 06 de janeiro a 26 de fevereiro de 2017.

A peça conta a história de Gilberto Fonseca, personagem do ator Edson Fieschi, um terapeuta de competência e caráter duvidosos. Após um incidente com um paciente famoso, ele se vê obrigado a administrar a repercussão negativa do caso, o assédio da imprensa e a fúria dos fãs do seu paciente, que o culpam pelo ocorrido e estão ávidos por vingança. Sem saída e com a sua carreira fadada ao fracasso, Gilberto cogita vender sua alma ao Diabo. Neste exato momento, surge em seu consultório Vera Fischer, que insiste em ser atendida.

Sofrendo um transtorno de personalidade, a famosa atriz insiste em dizer que não é Vera Fischer. Diante da gravidade do quadro, Gilberto aceita atendê-la em troca de publicidade, na esperança de retomar sua carreira. Gilberto passa a viver um novo conflito: quem será a solução para os seus problemas? O Diabo ou Vera Fischer?

A autora Andrea Batitucci é uma das escritoras de “Vai que Cola”, um dos programas de maior sucesso da TV paga do país. Instigada a investigar o que as pessoas são capazes de fazer para alcançar seus desejos, se inspirou para escrever a peça “Ela é o Cara!” com parceria de Márcio Araújo, por considerar o tema um dos males modernos da humanidade.

O diretor Ary Coslov tem em seu currículo a direção de mais de 25 espetáculos teatrais e mais de 40 obras televisivas, entre novelas, seriados, séries e programa humorístico. “A peça é uma crítica à atitude das pessoas que querem fama a qualquer preço. Muitas pessoas são capazes de se submeter a tudo por quinze minutos de fama”, observa o diretor.

O espetáculo, que é uma obra de ficção, tem algumas informações biográficas de Vera Fischer. “Achei a Vera Fischer muito corajosa ao fazer esta peça. O conteúdo do espetáculo não tem nada demais. Mas ela aceitou esta exposição”, comenta o diretor. “A peça tem somente duas personagens. Uma quer ser famosa, a outra se apresenta como Vera Fischer”.

(Redação - Agência IN)