QS oferece bolsas para graduação e MBA no exterior

Quando se pensa em MBA fora do país logo vem a preocupação: como bancar estudos tão caros? Com o Brasil em crise econômica, esse sonho parece mais distante. Mas as chances aumentam quando o estudo pode ser bancado pela própria instituição ou por fundações que dão bolsas, sejam integrais ou parciais, após um processo seletivo. A QS - Quacquarelli Symonds, empresa líder mundial no segmento educacional, por exemplo, possui um programa de bolsas que, todos os anos, ajuda a financiar os estudos de centenas de estudantes em importantes instituições internacionais. Para quem tem interesse em bolsas de estudo fora do país, a QS realiza dois grandes eventos em São Paulo: QS World MBA Tour e QS World Grad School Tour. As feiras acontecem nos dias 3 e 5 de setembro, no Hotel Transamérica (Av. das Nações Unidas, 18591) - as inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site: site www.topmba.com/events/qs-world-mba-tour/latin-america/sao-paulo para MBA e http://www.topuniversities.com/events/qs-world-grad-school-tour/latin-america/sao-paulo para pós graduação.

Gastos de brasileiros no exterior atingem em julho menor nível em sete anos

Mesmo com a queda do dólar nos últimos meses, os gastos de turistas brasileiros no exterior atingiram em julho o menor nível em sete anos. Segundo dados divulgados hoje (23) pelo Banco Central (BC), as despesas com viagens internacionais somaram US$ 1,362 bilhão. O valor é o menor para o mês desde julho de 2009, quando ficou em US$ 1,044 bilhão.

Vivenda do Camarão amplia negócios para o exterior

A Vivenda do Camarão foi fundada em junho de 1984, em um bairro nobre de São Paulo. A história da marca começou de forma despretensiosa, após seu fundador, Fernando Perri, ficar com um container de camarão parado no porto, devido a mudança nas cotas de importação. Quase três décadas depois, a Vivenda do Camarão se tornou a principal rede de frutos do mar no País e está entrando em uma nova fase de negócios com investimentos na internacionalização da marca.

Com o intuito de diversificar suas fontes de receitas, a empresa tem trabalhado em novas frentes de negócios, como franquias na Europa, expansão das vendas de produtos no varejo e importação de peixes e frutos do mar - do Alasca, Chile, China, Peru, Argentina e entre outros países - para a venda no atacado no Brasil. 'Este novo modelo de negócios é o principal investimento da marca atualmente, e seu sucesso demonstra uma nova maneira de se pensar a empresa. A importação e venda tem potencial para ser tão grande quanto a rede já consolidada em franchising - Vivenda do Camarão', explica Fernando Perri, presidente da rede.

Seguindo também o foco de expansão de unidades franqueadas no exterior, a empresa adotou o formato de máster franqueado junto da marca internacional da rede, a Shrimp House. A expectativa é formar parceiros e em cinco anos atingir a marca de 25 unidades, somente em Portugal. Os primeiros resultados já podem ser notados; em 21 de junho o máster franqueado português inaugurou sua quarta loja em Lisboa, em apenas três meses. Para o próximo ano a estratégia é entrar em novos mercados na zona do Euro.

Para o varejo, ainda no âmbito internacional, a linha de produtos congelados será comercializada em mercados direcionados ao público latino, nos Estados Unidos e em lojas para brasileiros no Japão. No Brasil, estes produtos já estão disponíveis há cinco anos nas grandes redes de supermercados, são eles: os pratos prontos congelados, a linha de in natura, empanados e até entradas e sobremesas. Eles podem ser comercializados também por meio da plataforma e-commerce, Vivenda em Casa, que desde 2015 apoia a expansão da empresa no formato de microfranquias. 'A venda via e-commerce Vivenda em Casa, nos permite estar em diferentes locais do País com a linha de produtos congelados. Já contamos com 40 contratos assinados e até o final do ano que vem estimamos 100 contratos', comenta Perri.

A regularização de capital no exterior

A Resolução Bacen n. 3.854/10 determina que as pessoas físicas ou jurídicas residentes, domiciliadas ou com sede no país devem prestar ao Banco Central do Brasil, declaração de bens e valores que possuírem fora do território nacional. Isso deve acontecer por meio eletrônico, na data-base de 31 de dezembro de cada ano, quando os bens e valores do declarante no exterior totalizarem, nessa data, quantia igual ou superior a US$100.000,00 ou seu equivalente em outras moedas.

Alíquota de 6% sobre remessas ao exterior é regulamentada

A instrução normativa nº 1.645 que regulamenta a alíquota de 6% do imposto pago por operadoras brasileiras sobre os pacotes de viagens internacionais comercializados pelas empresas foi publicada nesta terça-feira (31), no Diário Oficial da União. A tributação é cobrada sobre as remessas com limite global de R$ 20 mil mensal e tem validade até o dia 31 de dezembro de 2019.

Apex vai liberar R$ 44,8 mi para divulgação de empresas no exterior

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) vai assinar, na sexta-feira (15), em São Paulo, convênios com quatro setores da economia e renovar com outros três a promoção internacional de seus produtos e serviços. No total, a agência de fomento destinará R$ 44,8 milhões às ações para divulgar os parceiros no exterior. Somado à contrapartida do setor privado, o valor total será R$ 69,9 milhões.

Estudar no primeiro mundo é sonho possível

Com a missão de preparar estudantes do mundo inteiro para o competitivo mercado de trabalho, a BPP University (Inglaterra) oferece cursos com taxas escolares competitivas nas áreas de Negócios, Saúde, Direito e Estudos de Língua Inglesa.

 

Assinar este feed RSS