Recorde da bolsa é nominal, mas não real

  •  
Recorde da bolsa é nominal, mas não real Foto: divulgação Recorde da bolsa é nominal, mas não real

Nesta terça-feira (16) o Ibovespa, principal índice da B3 (antiga BM&FBovespa) bateu pela primeira vez 80 mil pontos. O índice acumula alta de 4,4% no ano, após subir aproximadamente 27% no ano passado. Com o indicador superando o recorde anterior e atingindo a maior pontuação da história, o mercado fica mais otimista e consequentemente, atrai o investidor estrangeiro.

Entretanto, Fernando Marcondes, Planejador Patrimonial do Grupo GGR, afirma que: "O índice de 80 mil pontos é um recorde nominal, porém, nós não podemos esquecer da inflação dos últimos dez anos de aproximadamente 72%”, e acrescenta, “Portanto, o recorde nominal é bem diferente do recorde real. Podemos dizer que o recorde de verdade, seria próximo dos 130 mil pontos”, ressalta Fernando Marcondes. Acontece que, a pontuação do Ibovespa considera o valor das empresas em reais, no entanto, com a inflação o dinheiro se desvaloriza a todo instante. Desta maneira, é possível considerar que os pontos alcançados neste ano, mesmo com o recorde obtido, estão valendo menos do que em 2008.

O Ibovespa é uma carteira composta por diversas empresas, portanto, quando é comprado o “valor” dessa carteira, ao longo dos anos, deve-se descontar a inflação do período analisado, para conter bases comparáveis. Ou seja, deverá se considerar o valor em reais com a devida correção da inflação. Se o valor das empresas em 2008 fosse corrigido pela inflação dos últimos nove anos, que chega a aproximadamente a 72%, o recorde real do Ibovespa seria acima de 125 mil pontos. Por exemplo, imagine que um tênis custasse R$ 100,00 em 2008 e em 2018 e passou a custar R$ 101,00. Em teoria ele atingiu o maior preço da história, porém, se corrigíssemos a inflação do período, ele deveria custar no mínimo R$ 172,00 para que realmente ocorresse um ganho de valor real e não apenas nominal.

Para Fernando Bergallo, Diretor de Câmbio da FB Capital, mesmo sendo considerado um recorde nominal indica um cenário favorável para o país: “O recorde do Ibovespa mostra um cenário internacional favorável para o Brasil, mesmo após o rebaixamento. Estamos vendo isso fortemente desde a semana passada com a queda contínua da moeda americana. Para quem está com dúvida se deve fechar uma operação de câmbio agora ou não, fica uma dica: o caro de hoje pode ser o barato de amanhã”. Para Daniela Casabona, Assessora de Investimentos, a diversificação garante uma carteira com rentabilidade segura, mesmo com as variações. Ela explica: “Diversificação é o grande sucesso para uma carteira com rentabilidade segura. Investidores que aplicaram em bolsa e fundos de ação, estão hoje acumulando grandes lucros com esses investimentos. Mesmo com as variações, a diversificação permite que o investidor corra riscos de forma mais segura e consiga aproveitar grandes oportunidades como a de hoje com a Ibovespa em 80 mil pontos”.

(Redação - Investimentos e Notícias)