Eneva anuncia 2ª emissão de debêntures simples

  •  
Eneva anuncia 2ª emissão de debêntures simples (Foto: Pexels) Eneva anuncia 2ª emissão de debêntures simples

A Eneva anunciou que o Conselho de Administração aprovou, em 26 de abril de 2019, a realização da 2ª emissão, pela Companhia, de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em até três séries, no valor de R$2.000.000.000,00, com valor nominal unitário de R$1.000,00, na data de emissão (“Debêntures” e “Emissão”, respectivamente).

As Debêntures serão objeto de oferta pública de distribuição com esforços restritos, sob o regime de garantia firme de colocação, nos termos da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) nº 476/2009 (“Instrução CVM 476”), com a intermediação de instituições integrantes do sistema de distribuição de valores mobiliários, tendo como público alvo investidores profissionais, nos termos definidos no artigo 9º-A da Instrução da CVM nº 539/2013.

Será adotado o procedimento de coleta de intenções de investimento dos potenciais investidores profissionais nas Debêntures, de forma a definir, de comum acordo com a Companhia: (i) a quantidade de Debêntures a ser alocada na 1ª e/ou na 2ª série da Emissão, por meio do Sistema de Vasos Comunicantes; e (ii) a taxa final a ser utilizada para apuração da remuneração das Debêntures.

O vencimento das debêntures da primeira série ocorrerá em 5 anos; o vencimento das debêntures da segunda série ocorrerá em 8 anos; e o vencimento das debêntures da terceira série ocorrerá em 10 anos, todos contados da data de emissão.

Os recursos obtidos pela Companhia por meio das debêntures da primeira série e das debêntures da segunda série serão utilizados para refinanciamento de dívidas da Companhia. Os recursos obtidos pela Companhia por meio das debêntures da terceira série serão destinados para o pagamento ou reembolso, conforme o caso, de gastos, despesas e/ou dívidas relacionados à implantação e exploração da Central Geradora Termelétrica 5A e 5B com capacidade instalada de 386MW, o qual foi enquadrado pelo Ministério de Minas e Energia como prioritário, conforme a Lei nº 12.431, de 24 de junho de 2011, conforme alterada, e do Decreto nº 8.874, de 11 de outubro de 2016.

(Redação – Investimentos e Notícias)