Cotas do FII Barigui começam a ser negociadas na B3

  •  
Cotas do FII Barigui começam a ser negociadas na B3 Foto: Divulgação Cotas do FII Barigui começam a ser negociadas na B3

Um novo fundo de investimento, o Fundo de Investimento Imobiliário Barigui rendimento Imobiliários I FII, direcionado a investidores profissionais, passa a ter suas cotas negociadas no mercado de bolsa nesta sexta-feira (21). Com nome de pregão FII BARIGUI e código de negociação BARI11, o lote-padrão é de uma cota e a cotação será em R$ por unidade.

Na 1ª emissão de cotas do fundo, encerrada em 13/05/2019, foram efetivamente distribuídas 734.191 cotas, ao preço de R$ 100,00 por cota, com um Valor Total da Oferta de R$ 73.419.100,00.

O Fundo terá como objetivo proporcionar aos Cotistas a valorização e a rentabilidade de suas Cotas, preponderantemente, por meio de investimentos, em Ativos Imobiliários:
(a) cotas de outros FII;
(b) certificados de recebíveis imobiliários e cotas de fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC) que tenham como política de investimento, exclusivamente, atividades permitidas aos FII e desde que sua emissão ou negociação tenha sido registrada na CVM;
(c) letras hipotecárias (“LH”);
(d) letras de crédito imobiliário (“LCI”);
(e) letras imobiliárias garantidas (“LIG”).

Em outros Ativos:
(a) Títulos de renda fixa de emissão do Tesouro Nacional ou do BACEN;
(b) Certificados de Depósito Bancário (“CDBs”), emitidos por Instituições Financeiras de Primeira Linha;
(c) Cotas de fundos de investimento, referenciados em DI ou de renda fixa, regulados pela Instrução CVM nº 555/14; e
(d) Operações compromissadas com lastro em títulos públicos de emissão do Tesouro Nacional.

Visando rentabilizar os investimentos efetuados pelos Cotistas mediante o pagamento de remuneração advinda da exploração dos Ativos Imobiliários do Fundo, o aumento do valor patrimonial das Cotas advindo da valorização dos ativos do Fundo; a posterior alienação, à vista ou a prazo, dos Ativos Imobiliários e Outros Ativos que comporão a Carteira do Fundo, conforme permitido por este Regulamento, pela lei e regulamentação expedida pela CVM.

(Redação - Investimentos e Notícias)