Como investir em fundos imobiliários em 2019

  •  
Como investir em fundos imobiliários em 2019 Foto: divulgação

Apesar de o investimento em ações e em contratos futuros serem as opções mais desejadas por quem quer começar a investir na Bolsa de Valores, os fundos de investimento também têm uma presença forte entre investidores iniciantes e experientes.

Diante de um novo ano que começa, muitos brasileiros estão em busca de alternativas mais rentáveis que a poupança para aplicar dinheiro. Para quem quer dar um passo além e explorar as oportunidades da renda variável, uma opção interessante são os Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs)

Entre as vantagens que os FIIs oferecem, estão a facilidade em investir pela internet, a praticidade de contar com uma gestão profissional em busca de boa rentabilidade e os baixos valores exigidos. Além disso, a liquidez, isto é, a facilidade em resgatar o dinheiro investido, também atrai muitos interessados.

Para 2019, é esperado que essa modalidade possa trazer bons resultados aos investidores, especialmente aqueles que estão em busca de opções para compor uma carteira de investimentos diversificada.

Especialistas apontam que a manutenção da taxa Selic em 6,5% ao ano, seu mínimo histórico, atraiu muitos investidores para opções que não têm seu rendimento ligado diretamente a essa taxa. Com o cenário que se desenha para o próximo ano, é esperado que ocorra uma continuidade desse panorama para quem deseja investir em FIIs.

Outro aspecto para ter atenção para saber como investir em fundos imobiliários em 2019 é a relação da taxa Selic em baixa com o incentivo ao consumo e crédito. Essa realidade pode favorecer o setor imobiliário, já que o acesso ao crédito facilitado pode incentivar o aumento da demanda.

Alguns fundos imobiliários para se ter atenção em 2019 são:

  • AEFI11
  • BBPO11
  • BCFF11
  • BRCR11
  • KNRI11
  • HGLG3
  • VRTA11
  • FEXC11

Como investir em Fundos Imobiliários — FIIs

Quem ainda não sabe exatamente como investir em fundos imobiliários, existem duas questões essenciais para se ter ciência antes de iniciar as aplicações. Uma delas é entender sua rentabilidade, ou seja, como ganhar dinheiro com esse investimento. E a segunda é em relação aos riscos atrelados aos FIIs.

Sobre a rentabilidade, é necessário destacar que há duas formas de realizar lucros:

1) Valorização das cotas - O investidor adquire a cota por um determinado valor, e com o tempo pode vendê-la caso ela atinja um patamar de preço mais elevado (devido ao aumento do patrimônio do fundo ou pela movimentação natural do mercado).

2) Distribuição dos lucros - Nesse caso, leva-se em consideração a renda mensal do fundo já que ele está ligado ao setor imobiliário e pode receber uma renda por causa do aluguel de imóveis. Após a verificação do lucro líquido do fundo em determinado período, os FIIs devem por lei distribuir pelo menos 95% desse rendimento a seus cotistas, de acordo com a quantidade de cotas de cada investidor, de forma proporcional.

Com relação aos riscos de investir em fundos imobiliários, existem 4 tipos mais comuns:

Risco de liquidez

Apesar da boa perspectiva de crescimento para os fundos imobiliários no Brasil, o número de pessoas investindo nessa modalidade ainda é baixo, principalmente se comparado a outras opções do mercado.

Essa quantidade pequena de investidores pode afetar a liquidez dos FIIs, afinal uma pessoa poderá ter dificuldades de encontrar interessados em comprar suas cotas. Vale ter atenção a este aspecto, já que muitos fundos podem ficar vários dias sem serem negociados na Bolsa de Valores por falta de interessados.

Risco de mercado

Este risco é o mais conhecido de quem já entende ao menos um pouco da dinâmica do mercado financeiro. Por fazerem parte da renda variável, os FIIs estão sujeito às oscilações desse mercado e, portanto, podem sofrer variações tanto para baixo quanto para cima.

Fatores externos à Bolsa, como mudanças no setor imobiliário, queda ou aumento da taxa básica de juros, e retração da economia em geral são alguns dos exemplos que podem impactar a valorização dos Fundos Imobiliários.

Risco de inadimplência

Como foi dito, parte da renda dos FIIs vêm do recebimento do aluguel. Então, caso os locatários não arquem com o compromisso de pagar os valores combinados em dia, a rentabilidade do fundo pode ser afetada negativamente.

Risco de vacância

Além do risco de inadimplência, há também a possibilidade de alguns dos imóveis que fazem parte do patrimônio do fundo não serem alugados. Com isso, o rendimento dos FIIs também pode ser comprometido.