Carteira recomendada mensal da Toro Investimentos

  •  
Carteira recomendada mensal da Toro Investimentos (Foto: Pexels) Carteira recomendada mensal da Toro Investimentos

O Ibovespa no mês de agosto não teve forças para repetir a performance do mês anterior e fechou em queda de 3,21%. As indefinições no cenário político eleitoral e a alta do dólar foram os principais motivos que frustraram a tendência de alta de agosto. A carteira recomendada da Toro Investimentos fechou o mês bem próximo do Ibovespa, com queda de 4,7% na carteira livre e queda de 2,6% na carteira protegida.

Para o mês de setembro, o cenário de incertezas deve permanecer, as pesquisas eleitorais devem continuar influenciando o apetite ao risco dos investidores, enquanto a volatilidade no câmbio segue no radar no curto prazo e pode dificultar o movimento de alta para a Bolsa. A empresa optou, para esse mês, recomendar Companhias que se beneficiam com a alta do dólar e podem performar melhor que o Ibovespa.

Empresas

As ações da Vale (VALE3) seguem em tendência de alta e devem seguir respeitando o suporte da média móvel de 21 na região de R$53,00. Os analistas da Toro Investimentos acreditam que suas ações possam testar a resistência de R$56,50, que, caso venha a ser rompida, vai gerar entrada de fluxo comprador no ativo. Por outro lado, a perda do suporte na região de R$49,50 abre espaço para uma reversão de tendência.

Já as ações de Suzano (SUZB3), negociam em tendência de alta no curto prazo e a visão é que podem alcançar a resistência na região de R$51,00. No momento, o teste do suporte próximo de R$46,30 é importante para a continuidade da tendência. Em compensação, se perder o suporte mencionado e vier a testar a região de preços em R$43,00, o ativo perde força e pode até mesmo reverter para uma tendência de baixa ou congestionar nessa zona de preço atual.

As ações de Raia Drogasil (RADL3) negociam em leve tendência de alta e o suporte da região atual em R$74,80 precisa ser respeitado para que a tendência ganhe força e a entrada de fluxo comprador impulsione o teste da resistência no patamar de R$81,94, que, caso venha a ser rompido, pode levar o preço de suas ações a zonas de resistências mais acima R$85,70.

E as ações da Embraer (EMBR3), após o anúncio da fusão com a Boeing, fizeram um movimento de correção que os analistas consideram ser exagerado e, atualmente, observaram que o preço de suas ações pode romper a resistência do patamar de R$20,20 e engrenar uma tendência de alta mais firme. Caso isso não ocorra e seus preços venham a negociar abaixo de R$18,00, podemos ter uma tendência de baixa de prazo maior.

Por fim, as ações de M Dias Branco (MDIA3) reverteram recentemente uma tendência de baixa de prazo maior e, no atual momento, e os analistas da Toro Investimentos acreditam na entrada de força compradora que deve levar o ativo para cima da resistência de R$44,00. Por outro lado, caso venha perder o suporte da zona de R$36,50, pode abrir espaço para entrada de fluxo mais vendedor e dar continuidade na tendência de baixa mais longa.

(Redação – Investimentos e Notícias)