para-ler-na-rede

Olga de Mello

Olga de Mello

Jornalista, acredita que cultura é gênero de primeira necessidade

URL do site: http://www.investimentosenoticias.com.br/blogs/para-ler-na-rede

Festival Segunda Chance

Em cinema sempre tem. Então, que tal começar o ano lendo o que de melhor foi sugerido aqui nos últimos doze meses? Esses são alguns dos grandes livros que li ao longo de 2014. Valem uma apreciada nos preguiçosos dias do verão nos trópicos.

Biografia:
quandoosskatesforemdegracaQuando os skates forem de graça (Record, R$ 32), Saïd Sayrafiezadeh, conta a infância e juventude do filho de dois militantes do Partido Socialista dos Trabalhadores, que acreditam, com fervor quase religiosos que a ditadura do proletariado conquistará os Estados Unidos - um fator de exclusão social para o menino, principalmente durante o governo Jimmy Carter, quando americanos são mantidos reféns pelo Irã.

 

cantigadefindarCantiga de Findar (Rocco, R$ 34,50), do poeta mexicano Julián Herbert, fala sobre sua infância e juventude, enquanto acompanha a mãe, morrendo de leucemia, no hospital. Uma mulher inconstante, que se prostituía quando não era sustentada pelos diferentes homens de quem engravidou, carregando os cinco filhos ou alguns deles para bordeis em localidades diversas, onde assumia novas identidades.

 

 


oqueamarquerdizerO que amar quer dizer (Cosac Naify, R$ 39), de Mathieu Lindon, recorda, com a exuberância típica dos franceses, que valorizam experiências e encontros pela maneira apaixonada como são descritos, sua mocidade e a importância dos relacionamentos afetivos para a formação pessoal de cada um. Filho de um editor, Lindon se detém em sua convivência com Michel Foucault, um de seus grandes amigos .

 

criatividadeCriatividade S.A. – Superando as forças invisíveis que ficam no caminho da verdadeira inspiração (Rocco, RS 39,50), de Ed Catmull, presidente da Pixar e da divisão de criação da Disney, ganhador de 5 prêmios Oscar por criação em tecnologia, fala sobre filmes, a evolução tecnológica na indústria do entretenimento, gestão de pessoal e também sobre a convivência com o esquisitíssimo Steve Jobs, a quem o livro é dedicado.

 

olongoadeusO longo adeus (Alfaguara, R$ 44,90), de Raymond Chandler, é para o escritor argentino Ricardo Piglia “o melhor romance policial que já se escreveu”. Neste thriller perfeito, o detetive Philip Marlowe precisa ajudar um amigo alcoólatra a sair do país. No caminho, encontram obstáculos nas figuras de mulheres fatais, escritores, bandidos e homens poderosos.

 

viverecomerViver e comer – Um diário de amantes da gastronomia (Tinta Negra, R$ 49), do escritor James Salter e de sua mulher, a jornalista Kay, veio do que os dois registravam num caderno marrom sobre os jantares que ofereciam. Fatos corriqueiros ou não também passaram a entrar nesses arquivos, que ocuparam outros cadernos, onde curiosidades sobre alimentação também mereciam nota. Por sugestão de um editor, organizaram um livro, lindamente ilustrado por FabriceMoireau.

 

tresnovelasfemininasTrês novelas femininas (Zahar, R$ 39,90), de Stefan Zweig reúne os maravilhosos Medo, Carta de uma desconhecida e 24 horas na vida de uma mulher. Românticos, encantadores, arrebatadores, os textos falam de mulheres que sofrem em decorrência de amores socialmente condenáveis, pelos quais não medem as consequências.

 

oultimoveraoO último verão (Bertrand Brasil, R$ 30 ), da italiana Cesarina Vigna, ganhou o prêmio Campiello, em 2010, e foi finalista do Stregha, a mais importante premiação literária de seu país. Escrito praticamente no leito de morte da autora, que sofria de uma rara doença fatal e degenerativa, o livro fala de suas origens, deixando de lado qualquer laivo de doçura, na medida em que sua personagem autobiográfica chega à adolescência.

 

betibuBetibu (Verus, R$ 38) da argentina Claudia Piñeiro, traz uma escritora de romances policiais, um jovem repórter e um veterano jornalista investigando um crime ocorrido num condomínio de classe média alta de Buenos Aires. O thriller retrata ainda a realidade contemporânea das redações de jornais na era da Internet.

 

colmeiaColmeia (Record, R$ 40), de Gill Hornby, mostra um ano na vida de um grupo de mães de alunos de uma escola no interior da Inglaterra. Quase todas casadas, são lideradas por uma carismática perua, que determina as ligações de amizades, isolando as que perdem os maridos – por divórcio ou viuvez -, já que o casamento é o que determina a identidade e o status de cada mulher naquele ambiente.

 

amulhersilenciosaO casamento como coroamento do sucesso pessoal também é o pano de fundo do intrigante thriller psicológico A Mulher Silenciosa (Intrínseca, R$ 29,90), da canadense A.S.A. Harrison. A protagonista é uma mulher bem-sucedida profissionalmente, que se adapta às frequentes traições do marido, um descaradíssimo e atraente adúltero. A solidez de vinte anos da relação é abalada pelo caso do marido com a filha de seu melhor amigo.



estranhascriaturasnoturnasRecordações melancólicas, o desconforto do não pertencimento à sociedade convencional, o rompimento de tradições, a vida às escondidas, amores, dores, carinhos. Os 23 contos reunidos em Estranhas criaturas noturnas (Apicuri, R$ 37), vislumbram a intimidade de personagens comuns, de hoje ou do passado próximo num Brasil em mutação. Com este primeiro livro, o artista plástico Jozias Benedicto, especializado em arte visual, foi finalista do Prêmio Sesc de Literatura 2012/2013. Vale a pena conferir por quê.

 

Ischrodernspirada pelo caso real do falsário Clark Rockefeller, que sequestrou a própria filha para passar mais tempo com a menina, a americana Amity Gaige fala sobre a recriação da própria identidade por um imigrante alemão, que, aos catorze anos, adota um nome novo. Schroder (Intrínseca, R$ 24,90), o protagonista, desmonta a cuidadosa farsa que inventou ao partir em direção ao Canadá com a filha, depois de perder a guarda da menina.

 

tarzanA história do menino inglês criado por macacos na África é para lá de inverossímil, mas conquistou leitores no mundo inteiro graças ao estilo arrebatador de Edgar Rice Borroughs. Um dos melhores lançamentos da coleção Clássicos Zahar: a edição comentada e ilustrada de Tarzan, o filho das selvas (Zahar, R$ 54,90) traz, como brinde, 40 desenhos do mestre Hal Foster.

Temporada de leituras leves

Janeiro, mês de férias pra boa parte das gentes. Época de leituras leves, combinando com os dias quentes, que são melhores se há possibilidade de recostar-se numa boa rede. Fora aqueles tsondukus – a palavra japonesa que significa “livro empilhado sobre outros, folheados, que aguardam uma oportunidade futura para serem lidos – tradicionais que me acompanham todos os anos, a temporada tem atrações interessantes, que listo aqui.

 

Lista de Natal 3 – A escolha final

Última leva de sugestões natalinas – mais extensa para agradar a leitores de todas as idades e gostos. As ofertas nas livrarias estão bem atraentes, mas na Internet, os descontos costumam ser mais generosos ainda. Boas compras e feliz Natal!

Assinar este feed RSS