Exchanges NegocieCoins e TemBTC faturam R$ 182 milhões em março

  •  
Exchanges NegocieCoins e TemBTC faturam R$ 182 milhões em março (Foto: Pexels) Exchanges NegocieCoins e TemBTC faturam R$ 182 milhões em março

O volume de negociações da NegocieCoins e TemBTC, corretoras de criptomoedas do Grupo Bitcoin Banco (GBB), disparou desde a implantação da plataforma de segurança FortKnox, que permite a transferência de fundos em reais diretamente entre as exchanges, sem depender do sistema bancário tradicional. Isso propiciou a realização de operações 24 horas por dia. “A moeda oscila, então os trades conseguem ter lucro mesmo fora do horário comercial”, explica Ibraim Mansur Neto, diretor de tecnologia da CLO Investimentos, controladora do Grupo Bitcoin Banco.

Além disso, com a FortKnox, a operação é feita de maneira ainda mais ágil e sem o pagamento de TED, a taxa de transferência bancária. Nesse caso, há apenas a taxa de retirada de 0,5%. A possibilidade, que surgiu de forma inédita no Brasil, atraiu novos investidores e traders para as duas exchanges. Juntas, elas geraram faturamento bruto, em março, de mais de R$ 182 milhões, 14 vezes mais do que o volume médio de janeiro e fevereiro.

A NegocieCoins é hoje a líder nacional em volumes de negociação, seguida pela TemBTC. Com a possibilidade de transações interexchanges, ambas passaram a deter mais de 90% do mercado brasileiro de criptomoedas. Para fins comparativos, no dia 1º de fevereiro, quando a FortKnox ainda estava em fase inicial, houve 2.403 transações diárias pela Negociecoins e dois meses depois, em 31 de março, elas saltaram para 8.012, o que representa um crescimento de cerca de 233%.

A FortKnox, lançada em fevereiro por um grupo de profissionais de tecnologia e desenvolvedores apoiados pelo Grupo Bitcoin Banco, foi criada com o objetivo de tornar as transações em criptomoedas 100% seguras. Além de ter permitido a transferência de fundos entre as exchanges, a plataforma oferece mais etapas de proteção às moedas virtuais.

“Nosso objetivo é fazer com que a exchange que utilize a plataforma se integre às blockchains das diferentes criptomoedas. Com os nossos recursos de segurança oferecemos uma plataforma que se adapte de maneira única às particularidades das redes de cada cripto. Com as etapas de segurança e a manutenção das cold wallets de maneira segura fora da plataforma, todo o sistema ficará protegido”, diz Mansur Neto.

(Redação – Investimentos e Notícias)