Redação

BC se mostra com suporte à moeda nacional, diz FecomercioSP

Após a manutenção da taxa Selic em 6,5%, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) afirma que o Banco Central tem se mostrado um órgão de suporte à moeda nacional, independente do governo federal, e aprova a decisão de manter o contexto geral das dinâmicas política e econômica do País.

 

Taxa Selic poderia ter sido reduzida, diz Firjan

A economia brasileira segue com elevada ociosidade nos fatores de produção e, com isso, a atividade econômica segue abaixo do seu potencial, sem pressionar a inflação e suas expectativas. Nesse cenário, e diante das sucessivas reduções das expectativas de crescimento para o ano, a Firjan entende que havia espaço para o Copom reduzir a taxa básica de juros, estimulando a atividade econômica sem comprometer a meta de inflação.

 

Para ACSP, decisão do Banco Central é adequada

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) repercute a decisão do Copom de manter a taxa Selic em 6,5% a.a.

'A decisão é adequada para o momento porque a inflação ainda está um pouco acima do centro da meta, embora já em tendência de queda. Além disso, o ajuste fiscal - cuja espinha dorsal é a reforma da Previdência - ainda está incipiente. Então, a rigor, o cenário é praticamente o mesmo da reunião passada, ainda que haja uma perspectiva do mercado financeiro de que a Selic feche o ano em 5,75%', diz o economista da ACSP, Marcel Solimeo.

(Redação - Investimentos e Notícias)

Assinar este feed RSS